Deu zika: Josué Neto convoca debate sobre combate a mosquito, mas debater saúde pública, nem pensar

A Assembleia Legislativa do Estado (Aleam) vai começar sua semana de trabalho em plenário, nessa terça-feira (16), fazendo um debate sobre as políticas públicas adotadas para o combate ao mosquito Aedes Aegypti, transmissor da dengue, do zika vírus e da febre chikungunya. A iniciativa é do presidente da Casa, deputado Josué Neto (PSD) que, segundo sua própria assessoria, “vai mobilizar todos os setores da Assembleia Legislativa e todos os parlamentares, afim de que o Poder Legislativo possa contribuir com a mobilização nacional de conscientização e combate ao mosquito”.

Para o debate, foi convidado o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), médico Bernardino Albuquerque.

Mas, se haverá conscientização na Assembleia Legislativa sobre a importância do combate ao mosquito Aedes, por outro lado nem passou pela mente convocar um debate sobre as deficiências na saúde pública, com a falta de medicamento, inclusive (e principalmente) para pacientes de câncer, carência de exames médicos, suspensão de alguns tipos de cirurgia, e redução nos atendimentos médicos hospitalares.

Alguns deputados, como por exemplo José Ricardo Wendling, Alessandra Campêlo e Luiz Castro, bem que já tentaram convocar o atual secretário de Estado da Saúde, Pedro Elias – assim como tentaram fazer a mesma coisa na época do secretário Wilson Alecrim-, que entre outras explicações, poderia inclusive dizer como pode, em tempos de epidemia de doenças causadas por mosquito, demitir agentes de endemia.

Porém todos os requerimentos sobre esse tema, são rejeitados pelos mesmos deputados que vão discutir combate ao mosquito. É só falar em convocar secretário que dá zika! (Any Margareth)