Dia de Luto

eduardo campos-nascimento-morteA notícia da morte do candidato à presidência da República, Eduardo Campos (PSB), nesta quarta-feira (13), em um acidente aéreo, deixou muita gente num estado meio letárgico, diante de fato tão inesperado e trágico. Isso ficou visível nas mensagens enviadas através do Whatsapp do Radar, onde leitores que estavam no horário de trabalho, dentro de empresas privadas ou órgãos públicos, sem muito acesso aos veículos de comunicação, perguntavam um após o outro, se era verdade a notícia que receberam pelo celular. E, infelizmente, só nos restou confirmar que o ex-governador de Pernambuco Eduardo Campos, morreu após a queda do jato particular em que viajava, com apenas 49 anos de idade, completados no último domingo. A bordo do avião estavam cinco passageiros (entre eles Eduardo Campos) e dois tripulantes que também morreram no acidente: Alexandre da Silva, fotógrafo, Carlos Augusto Leal Filho (Percol), assessor de imprensa, Geraldo da Cunha, piloto, Marcos Martins, piloto, Pedro Valadares Neto e Marcelo Lira.

Luto Oficial

A presidente Dilma Rousseff decretou luto oficial por três dias. Em nota oficial, disse a presidente sobre o último encontro que teve com Eduardo Campos: “Estivemos juntos, pela última vez, no enterro do nosso querido Ariano Suassuna. Conversamos como amigos. Sempre tivemos claro que nossas eventuais divergências políticas sempre seriam menores que o respeito mútuo característico de nossa convivência”.

Perplexidade

Os principais adversários de Eduardo Campos nas eleições desse ano, Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB), cancelaram todos os compromissos de campanha. Aécio Neves fez o seguinte comentário, assim que ficou sabendo da morte de Campos: “Estou absolutamente perplexo”.

Cancelou agenda  

Em nota enviada à imprensa, o governador e candidato à reeleição José Melo (PROS) informou que cancelou todos os compromissos de sua agenda política para essa quarta-feira (13) em virtude da morte do presidenciável Eduardo Campos. “José Melo externou pesar pela morte do presidenciável e informou decreto de três dias de luto oficial no Estado”, estava escrito.

Sem palavras  

Através de ligação telefônica, o candidato ao Governo do Estado pelo mesmo partido de Eduardo Campos, o PSB, o deputado Marcelo Ramos, que também faz parte do rol de amigos do presidenciável, fugindo a uma de suas principais características como parlamentar que é a de tribuno, desta vez emudeceu. Disse estar sem palavras para definir a tristeza com a morte de Campos. “Estamos aqui na casa do Serafim (ex-prefeito Serafim Corrêa) dividindo a nossa dor. Estamos muito consternados, e tentando encontrar forças pra seguir em frente que, temos a certeza que era o que ele haveria de querer”, declarou Ramos com a voz embargada.

Não há política

O candidato ao senado, deputado federal Francisco Praciano (PT) enviou nota de pesar pela morte de Eduardo Campos onde diz: “Foi com imenso pesar que recebi a notícia da morte do companheiro Eduardo Campos, ex-governador de Pernambuco e candidato à Presidência da República pelo PSB. A Eleição é uma festa e a Democracia uma coisa bonita, porém a morte de Eduardo Campos, e dos companheiros que estavam com ele na aeronave, nos entristece a todos. Eduardo Campos tinha espírito público e era um grande nome no quadro político do País. Nesse momento, não há política. Há solidariedade e fraternidade que ofertamos aos familiares dos que morreram no acidente”.  Praciano cancelou sua agenda em sinal de luto.

Grande perda

“O Brasil perdeu um grande brasileiro, Pernambuco perdeu um grande pernambucano. A nova geração de políticos brasileiros perdeu um de seus grandes expoentes. Um bom homem público, apaixonado pelo que fazia”. Assim definiu o candidato ao governo do Estado, senador Eduardo Braga, a morte do presidenciável Eduardo Campos, em conversa com jornalistas. Braga lembrou dos tempos em que Campos foi ministro de Lula. “Conheço Eduardo Campos há muito tempo e fui colega governador de Eduardo Campos durante 4 anos, ambos amigos de Lula, inúmeras vezes estivemos juntos, viajamos juntos. Portanto quero prestar minha solidariedade, meus sentimentos não só ao povo brasileiro e o povo pernambucano, e de uma forma especial à família de Eduardo Campos, sua esposa Renata e seus filhos. Que Deus possa confortar e consolar sua família. Que Deus possa consolar e confortar o povo pernambucano”, disse Braga.