Diferente do que disse o governador, cirurgias estão suspensas não só no Delphina Aziz mas no 28 de Agosto também

Em menos de 15 dias após o governador Amazonino Mendes (PDT), afirmar que as cirurgias haviam voltado a normalidade no Hospital Delphina Aziz – também conhecido como Hospital da Zona Norte – pessoas entraram em contato com o Radar para dizer que não é bem assim como o governador falou.

Denúncias levam a crer que o governador declarou à imprensa uma meia verdade, pois, o Delphina Aziz tem cirurgião apenas para os casos de urgência, do tipo suturas – ou seja, para fechar buracos de bala e facadas. Para as cirurgias eletivas não tem cirurgião. E descobrimos ainda que não é só o Delphina Aziz que está sem cirurgião não! O Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto não está mais fazendo cirurgias também.

Uma das pessoas que entrou em contato com o Radar, procurou o Delphina Aziz por estar com problema de pedra na vesícula e sentindo fortes dores. Ela foi encaminhada ao Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, após justificativa de que o Delphina Aziz está sem cirurgião e as cirurgias eletivas estão suspensas.

No 28 de Agosto, que fica na zona Centro-sul de Manaus, disseram que só há possibilidade de marcação de cirurgia de vesícula para daqui há dois anos.

Por meio de nota, a Secretária de Estado de Saúde (Susam), informou ao Radar, que as cirurgias eletivas que estavam sendo realizadas no Hospital Pronto Socorro da Zona Norte (Delphina) faziam parte de um contrato emergencial, firmado com o Instituto de Medicina Estudos e Desenvolvimento (Imed), cuja vigência encerrou em dezembro do ano passado. A Susam ressaltou, ainda, que o contrato de gestão da unidade é para os serviços de Pronto Socorro e de diagnóstico.

Vale ressaltar que o Imed, recebeu R$ 67,2 milhões do Delphina, em 2017, por meio do Governo do Estado.

Também em nota, a Susam confirmou que assim, como o HPS Zona Norte, o HPS 28 de Agosto não realiza cirurgia eletiva de vesícula, e a Secretaria recomendou que quem estiver precisando desse tipo de atendimento procure a fundação Hospital Adriano Jorge.

“No caso da paciente citada pela reportagem, é necessário que a mesma, em posse do encaminhamento médico, busque atendimento na Fundação Hospital Adriano Jorge (FHAJ), que é a unidade especializada da rede estadual que executa esse tipo de procedimento cirúrgico”, informou a Susam.

Em outras palavras, a situação é ainda pior do que a descrita pelo Radar em matéria anterior, já que apenas um hospital, no caso o Adriano Jorge, está fazendo cirurgias.