Dilma Rousseff garante ponte ligando o Acre a Rondônia

dilmaA presidente Dilma Rousseff, garantiu neste sábado (15), durante coletiva no aeroporto de Rio Branco, a construção de uma ponte sobre o Rio Madeira, ligando o Acre a Rondônia. Atualmente, a BR-364 é a única via terrestre que liga o os dois estados. Há mais de 20 dias, a estrada está parcialmente fechada devido a cheia do Rio Madeira que cobre trechos da rodovia. “Nós faremos a ponte sobre o Rio Madeira e isso vai beneficiar a todos vocês”, assegurou a presidente sem fornecer mais detalhes sobre a obra.

Após sobrevoar as áreas afetadas pela cheia do Rio Acre, Dilma visitou os desabrigados pela enchente, alojados no Parque de Exposições, em Rio Branco. A cheia do Rio Acre tirou de casa mais de 4 mil pessoas, na capital. Pela manhã, a presidente esteve em Rondônia.

O governador Tião Viana ressaltou que o estado recebe a notícia como um presente. “Além do apoio da presidente, este é o maior presente”, completou Viana. A presidente também destacou que o Governo Federal tem se mantido solidário à situação dos estados que se encontram atingidos pela cheia. “Estamos preocupados, sempre mantivemos a ponte aérea, através da Força Aérea Nacional, que garante o apoio para a região e manteremos até quando for necessário”, diz.

Com a BR-364 inundada, Dilma diz que a ideia é que sejam criadas ligações entre os estados por vias terrestres ou por hidrovias. “Estamos buscando alternativas, já que a BR tem pontos de 2m a 3m de água acima da estrada e a passagem dos caminhões que em alguns momentos é interrompida, outros liberada”, explica.

Durante o discurso, Dilma disse estar feliz com sua vista ao Acre e destacou a importância de políticas públicas para o controle da situação no estado. “Um fato muito importante é que não ocorreu nenhuma morte e não houve nenhum ferido na região, mesmo havendo um quadro tão crítico. Isso se deve às políticas adequadas feitas aqui”, avalia.

A presidente garantiu ainda apoio às três linhas de ações que têm parceria com o governo estadual. “Garantimos apoio na assistência e resgate dos desabrigados e desalojados, agimos também na reconstrução depois de tudo isso. Qualquer ação estrutural que melhore nossa convivência com a chuva, porque a gente não acaba com ela e temos que aprender a conviver de forma mais efetiva com a chuva”, enfatiza.

A cheia histórica do Madeira tem trazido prejuízos ao estado do Acre. Caminhões de grande porte enfrentam dificuldades para chegar ao estado pela BR e para que o Acre não fique totalmente desabastecido de alimentos, três aviões de carga da FAB fazem, diariamente, o transporte de alimentos entre Porto Velho e Rio Branco.

Fonte: G1