Do total de R$ de R$ 111 milhões pagos pelo Governo de Melo nos três primeiros meses do ano, mais de R$ 95 milhões foram para construtoras, entre elas as que financiaram sua campanha

melo em obras

Num governo onde falta até medicamento para pacientes de câncer e há problemas no fornecimento de merenda escolar, não se encontra na lista de pagamentos do governador professor José Melo, nos três primeiros meses do ano, sequer uma empresa fornecedora das áreas de saúde e educação – várias delas não estão fornecendo para o Governo porque estão com pagamentos em atraso. Num Governo onde a ordem do Chefe do Executivo é cortar gastos, onde foram demitidos centenas de servidores públicos e extintas secretarias vitais para o desenvolvimento do Estado como Ciência e Tecnologia, sobrou dinheiro para o governador pagar as faturas em atraso de empreiteiras, algumas delas que aparecem na lista de suas financiadoras de campanha (ver documentos no final da matéria).

No período de janeiro a março, segundo o Portal Transparência do Governo do Estado – mesmo período em que todo mundo diz que o Governo não paga ninguém porque o Orçamento ainda está fechado – o governador professor José Melo avalizou o pagamento de R$ 111 milhões, maioria quase absoluta dos pagamentos para construtoras, mais de R$ 95 milhões (ver relação de pagamentos das empresas no final da matéria). Quase totalidade desses pagamentos refere-se a uns tais de “restos a pagar”, ou “Despesas de Exercícios Anteriores”, ou seja, no Governo em que se vive falando de crise econômica, não está faltando dinheiro para o “pobre e humilde filho e seringueiro” pagar suas dívidas com as construtoras – e a gente nem sabe que dívidas são essas porque o Governo não diz quais os serviços que foram prestados.

Toma lá, dá cá

Entre essas construtoras está a KPK Construções Ltda que, de janeiro a março, recebeu um total de R$ 7,6 milhões – vale lembrar que a KPK é aquela paga pelo Governo de Melo para asfaltamento de vias de em municípios do interior onde os cidadãos mandaram até vídeo pro Radar mostrando que não tem asfaltamento nenhum. Na lista de doares de campanha do “pobre e humilde filho de seringueiro” – a oficial, né gente! – aparece uma doação de campanha, datada de 02 de outubro de 2014, de R$ 400 mil. Outra empresa que aparece na lista de doares da campanha do governador é a COTRAP Construtora e Transportadora Pioneiro Ltda que, no mesmo dia 03 de outubro de 2014 – dois dias antes da votação de primeiro turno das eleições (05) -, fez duas transferências bancárias, cada uma de R$ 200 mil, num total de R$ 400 mil, para a conta de campanha do Governador José Melo. A mesma COTRAP já conseguiu receber R$ 1,3 milhões do governo Melo nos três primeiros meses do ano, tanto de “restos a pagar”, quanto de “estradas e rodovias” – não me perguntem que estradas e rodovias são essas porque o governador Melo só se resume a dar essa explicação para os pagamentos.

Já a empreiteira Tarumã Construções e Terraplanagem Ltda também fez dois depósitos na conta de campanha do governador professor Melo no mesmo dia, 01 de outubro de 2014, quatro dias antes da votação do primeiro turno, um depósito de R$ 190 mil e outro de R$ 210 mil. A Tarumã já conseguiu receber do governador R$ 4,2 milhões nesse início de ano.

E, na lista de empresas que decidiram injetar recursos na campanha à reeleição do governador está uma velha “parceira” do professor José Melo e de seu antecessor e principal apoiador de campanha, agora senador eleito Omar Aziz, a Laghi Engenharia Ltda., que nos últimos quatro anos, período de Omar e Melo recebeu recursos públicos da ordem de mais de R$ 176 milhões – levantamento feito pelo Radar de 2010 a 2014 no Portal Transparência do Governo do Estado . Importante destacar que a Laghi não faz obras. Ela é uma empresa de projetos na área de engenharia – não perguntem que projetos foram esses para tantos milhões porque até deputado estadual que solicitou informações do Governo, ainda não teve resposta.

E a Laghi está lá também na lista das financiadoras da campanha à reeleição do governador, há doações tanto como pessoa física quanto jurídica. E, causa estranhamento,  o registro feito pelo Comitê Financeiro de Campanha do governador de uma transferência bancária da conta da proprietária da Laghi Engenharia, Maria Cristina Rodrigues Laghi,  para a conta de campanha do professor Melo, no valor de R$ 500 mil,  do dia 25 de novembro quando as eleições já tinham passado – a votação do segundo turno foi no dia 26 de outubro – e no mesmo dia em que acabava o prazo para os candidatos entregarem suas prestações de contas, com os valores de despesas e receitas.

Outra doação da empresa que diz que fez (e faz) projetos de engenharia para os governos de Omar e Melo foi realizada dois dias antes da votação de primeiro turno, no dia 03 de outubro, através de um cheque de R$ 850 mil.

E na lista de doadores de campanha do “pobre e humilde menino que vendia fruta num tabuleiro na rua” – coloquei aspas porque a definição não é de minha autoria, mas sim da equipe de marketing eleitoral do governador Melo – o que não faltam são empreiteiras, com raras exceções dessa como a Laghi que são pagas di que para fazer projetos – Construtora Matrix, Construtora Soma, COPEF Construção e Comercial Ltda, Cotrap Construtora, Diretriz Pavimentação e Terraplanagem, Infra Construções e Serviços, KPK Construções, Projeto Engenharia, Pronto Construções, Construtora São Francisco, PR Construções, MCW Construções Comércio e Terraplanagem, Global Engenharia, J.M. Construções e SH Engenharia e Construções. As mesmas empresas que estão na lista de prestadoras de serviço ao Governo do professor Melo e que, juntas, deram para sua reeleição mais de R$ 7 milhões. (Any Margareth)

Portal Transparência do Governo do Estado

Relatório dos pagamentos feitos pelo Governo através da Secretaria de Infraestrutura

Relatório das construtoras que receberam do Governo

Lista de doadores de campanha do Governador