Doadores de sangue curados da Covid-19 têm direito à meia-entrada em eventos e espaços do Estado

Foto: Divulgação

Como forma de incentivar a doação de sangue, o Governo do Amazonas sancionou, nesta quarta-feira (6), a Lei que concede meia-entrada em eventos culturais, esportivos e de lazer aos cidadão curados da Covid-19 que fizerem doações de plasma sanguíneo junto à Fundação Hospitalar de Hematologia e Hemoterapia do Amazonas (Hemoam). A sansão atende ao Projeto de Lei 245/2019 decretado pela Assembleia Legislativa do Estado do Amazonas (Aleam), de autoria da 2ª vice-presidente e deputada Mayara Pinheiro Reis.

A nova Lei já está em vigor e contempla os doadores com 50% de desconto no valor cobrado pelo ingresso aos eventos ou locais mantidos pela administração direta ou indireta do Estado do Amazonas, sem restrição de data, local e horário. Para usufruir do benefício, o cidadão precisa estar cadastrado no Hemoam e nos bancos de sangue do Estado, identificado por documento oficial, expedido por essas entidades.

Para a doadora Gisele Pereira, de 27 anos, o atual cenário mundial fez com que as pessoas criassem receio em doar sangue. “Uma lei importantíssima, principalmente nesse momento de pandemia em que a gente vive. Vemos na televisão que a Covid-19 impactou o banco de sangue de A+ e A–, então, que essa lei seja uma dose de encorajamento para um ato tão nobre como esse”, destacou.

Como doar

Ao se dirigir a um centro de hemoterapida, o candidato a doador será encaminhado ao setor de cadastro, conforme orienta a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), para identificação que gerará um número de registro. Depois disso, será feita uma análise clínica para saber a situação de saúde do candidato.

O doador deve ter entre 16 e 69 anos (menores de idade devem ter portar autorização legal do responsável); pesar mais de 50 quilos; ter dormido, pelo menos, 6 horas nas últimas 24 horas; estar alimentado de forma saudável; e não ter ingerido bebida alcoólica nas 12 horas anteriores à doação.

Vale destacar que, segundo o novo informativo consolidado e publicado pela Anvisa em outubro do ano passado, qualquer pessoa pode se candidatar a doação de sangue, independente de sexo, orientação sexual, expressão de gênero, religião, raça ou classe social.