Documento da própria PC mostra como policiais não têm estrutura para combater o crime

Enquanto bandidos têm acesso a fuzis, metralhadoras e até granadas, os policiais do Amazonas não têm, muitas vezes, sequer munição para o revólver e vão de “peito aberto” enfrentar a bandidagem por falta de colete à prova de balas. Isso é o que mostra um documento da própria Polícia Civil, publicado no último dia 9 de agosto, no Diário Eletrônico do Governo do Amazonas. (Veja documento no final da matéria)

A publicação mostra como a segurança pública do Amazonas está com uma estrutura sucateada e sem investimentos por parte do governo do Estado.

A falta de estrutura da polícia para combater o crime reflete, visivelmente, no número de homicídios no Estado. É só ver que nos dois últimos dias, por exemplo, quatro pessoas foram assassinadas, sendo três na capital e uma no interior.

Os dados retirados do documento da PC são alarmantes, como por exemplo, sobre a munição para pistolas e revólveres. A polícia deveria ter 335,4 mil munições, mas o quantitativo é de apenas 4 mil. Uma diferença gritante de mais 331 mil munições.

O documento também aponta que dos 3.354 armamentos que deveriam ter em posse da segurança pública do Estado, existem apenas 2.742 equipamentos, entre pistolas e revólveres. Uma defasagem de 612 unidades.

E quando se fala em segurança pública, logo se vem a ideia de policiais armados, mas, também protegidos por coletes de proteção balística. Entretanto, dos 2.477 coletes que deveriam ter no Amazonas, o Estado tem apenas 477. Nesse caso, faltam 2 mil coletes para atender a polícia.

Sobre armamento de auto poder de fogo, a segurança pública do Estado deveria ter 335 carabinas, mas tem apenas 42 unidades. Já as munições previstas para essas mesmas carabinas deveriam ser de 50.310, mas só há 4 mil. Aqui a diferença chega a 46,3 mil munições.

Em relação ao número de escopeta, a previsão era ter 671 unidades, mas não se tem nem a metade disso. Atualmente são apenas 318 escopetas à disposição da PC. Dos números de fuzis, a previsão era ter 100, mas são apenas 30. Das 30 mil munições previstas para fuzis, o Estado não tem posse de nenhuma única bala.

Publicação

A informação da publicação é sobre o patrimônio da dotação de armamento, coletes a prova de balas e munições, pessoal e operacional da Polícia Rodoviária Federal e das Polícias Civis Estaduais.

Confira documento na íntegra