Dois rapazes, um menor de 17 anos e outro de 18 anos, são presos por envolvimento em latrocínio de fazendeiro

assassinos

Policiais Civis lotados na Delegacia Interativa de Polícia (DIP) do município de Humaitá, distante 590 quilômetros em linha reta de Manaus, prenderam hoje (27), o adolescente I.S.O., 17, e Audiekson Gomes dos Santos, 18, por crime de latrocínio. A dupla é apontada pelo envolvimento na morte do fazendeiro Geraldo Marques dos Santos, 67, ocorrido no último dia 16 de dezembro, na comunidade Realidade, naquele município. O primeiro envolvido foi preso no mesmo dia do crime, Aleilson Souza Cardoso, 33, que trabalhava como caseiro da vítima há pelo menos dez anos  foi detido quando foi comunicar o desaparecimento do fazendeiro na Delegacia.

De acordo com o Delegado Adjunto de Humaitá, Marcus Rezende, o adolescente fugiu da região no dia anterior ao crime mas vinha sendo investigado desde então, os Policiais Civis montaram campana por pelo menos duas semanas em uma região onde segundo denúncias anônimas, seria o esconderijo dele. Após dias de investigações a equipe policial conseguiu efetuar a prisão do menor, no momento em que ele procurava alimento, em um terreno cercado por mato na sede do município de Humaitá.

Após a prisão do adolescente, a Polícia Civil chegou até o terceiro envolvido na morte do fazendeiro Geraldo, praticada com requintes de crueldade. Audiekson Gomes dos Santos foi preso em casa também na sede do município. Na Delegacia ele foi apontado como autor do tiro que atingiu a vítima no abdômen. Segundo o laudo da perícia do IML de Rondônia, além de receber pauladas e marretadas, o corpo da vítima apresentava duas perfurações, uma no abdômen e outra na nuca.

Na fazenda de Geraldo, os policiais encontraram algumas roupas, possivelmente da vítima, sujas de sangue. Logo após as averiguações, Aleilson, o primeiro homem detido, confessou o crime e indicou o local onde ele e a dupla, esconderam o corpo. O cadáver do fazendeiro foi encontrado em uma cova na própria fazenda dele.

Marcus Rezende ressaltou a motivação do delito. “A vítima havia vendido uns gados no dia anterior ao crime, e estava com dinheiro na casa, Aleilson e os cúmplices, roubaram o dinheiro e dois rifles de Geraldo, assassinaram ele com requinte de crueldade, e ocultaram o cadáver. A Polícia Civil em menos de 24h, após tomar conhecimento do crime, identificou os autores do latrocínio do fazendeiro e em menos de trinta dias encerrou o caso com êxito”, frisou o Delegado.

Após Aleilson confessar o crime, a autoridade policial representou pelo pedido de prisão preventiva, que foi expedido de imediato pelo juiz Jeferson Galvão de Melo, da comarca de Humaitá e cumprido imediatamente. O homem segue preso na unidade policial, bem como Audiekson Gomes dos Santos, onde foram autuados no crime de latrocínio e onde ficarão à disposição da Justiça. O menor de 17 anos ficará provisoriamente detido na Delegacia de Humaitá.