Dois servidores e uma ex-funcionária da Fcecon são presos após desviar R$ 1,1 milhão em medicamentos

Dois servidores e uma ex-funcionária da Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon) foram presos acusados de desviar R$ 1,1 milhão em remédios destinados ao tratamento de pessoas com câncer. As prisões são decorrentes da primeira fase de uma operação da Polícia Civil para combater o desvio de medicamentos no Amazonas.

A informação foi divulgada nesta quinta-feira (4) pela assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM). De acordo com policiais civis da Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD), dois investigados trabalham no setor de almoxarifado, a outra acusada é uma ex-funcionária do hospital.

Segundo a SSP-AM, as investigações começaram após a direção da FCecon acionar a Polícia por ter identificado uma baixa inexplicada no estoque de medicamentos destinados ao tratamento de pessoas com câncer.

Segundo informações da delegada-geral Emília Ferraz, o trio fez um documento falso para retirar os medicamentos, no qual dizia que a carga seria destinada a Fundação Adriano Jorge (FHAJ). No entanto, a direção da unidade hospitalar afirmou que nunca recebeu os medicamentos e nem havia solicitado o material.

“Essa associação criminosa fez documentos falsos para retirar medicamentos da unidade. Acreditamos que esses três não fizeram isso apenas uma vez , foram várias vezes, e mediante a investigação iremos apurar isso. Ainda não sabemos o dano que foi causado aos pacientes. Se ela conseguiu fazer isso sendo ex-funcionária, acreditamos que fez muito mais quando ainda trabalhava no hospital”, disse Emília Ferraz.

Duante coletiva de imprensa, o delegado Leonardo Marinho informou que nas buscas realizadas nas casas dos infratores, não foi encontrado nenhum medicamento. A investigação se concentrará em descobrir onde estão os medicamentos e quem eram os receptadores.