Dois soldados russos morrem envenenados por civis, diz Ucrânia

Ainda de acordo com as autoridades do país, outros 28 militares da Rússia estão em UTIs por problemas alimentares ou relacionados a álcool

Soldados ucranianos treinam para guerra perto da usina nuclear de Chernobyl em 4 de fevereiro de 2022 — Foto: REUTERS/Gleb Garanich

O Departamento de Inteligência do Ministério da Defesa ucraniano divulgou, nesse sábado (2), que ao menos dois soldados russos morreram por intoxicação após comerem bolos envenenados. A comida foi, supostamente, ofertada por moradores de Izium, distrito ocupado pelos russos no leste da Ucrânia.

Ainda de acordo com as autoridades do país, outros 28 militares da Rússia estão em unidades de tratamento intensivo (UTIs) por problemas alimentares.

“Os moradores do distrito de Izium ‘trataram’ os ocupantes com bolos envenenados. Como resultado, dois ocupantes morreram de uma só vez, outros 28 foram levados para a unidade de terapia intensiva. Cerca de 500 militares russos estão em hospitais devido à intoxicação grave por álcool de origem desconhecida.”

A sabotagem civil faz parte de um esforço de resistência por parte de cidadãos ucranianos cujas cidades foram invadidas. Para a estratégia russa, Izium é de fundamental importância. Tomar a cidade significaria conquistar uma base que desse sustentação aos ataques promovidos na região de Donbass.

Além disso, seria utilizada, ao que tudo indica, para reabastecer as tropas numa cidade próxima à fronteira com a Rússia. O Kremlin ainda não se pronunciou sobre o caso. O conflito no Leste Europeu completa 38 dias neste domingo (3).

Iniciada em 24 de fevereiro, após anúncio do presidente russo, Vladimir Putin, a invasão da Ucrânia segue sem sinais de acordo. O líder ucraniano, Volodymyr Zelensky, pontuou em discurso que o objetivo da Rússia é comandar o Sul da Ucrânia e a região de Donbass, foco de grupos separatistas.

Cerca de 10 milhões de ucranianos tiveram de deixar suas casas, tendo 4,5 milhões de pessoas buscado auxílio em outros países.