Donos do supermercado Vitória dão entrada no Sistema Penitenciário do Amazonas nesta quarta-feira (22)

A investigação da polícia aponta que os donos do supemercado Vitória são envolvidos na morte do sargento Lucas Ramon Guimarães

donos supermercado vitória presídio

Foto: Divulgação

Joabson Agostinho Gomes e Jordana Azevedo Freire, donos do supermercado Vitória e acusados de envolvimento na morte do sargento Lucas Ramon da Silva Guimarães, 29, deram entrada no Sistema Penitenciário do Amazonas na tarde desta quarta-feira (22) em cumprimento de mandado de prisão temporária. A informação foi confirmada pela Secretaria de Administração Penitenciária (Seap) ao Radar Amazônico.

De acordo com a Seap, Jordana encontra-se no Centro de Detenção Provisória Feminino (CDPF), enquanto Joabson está na Central de Recebimento e Triagem (CR). Após os procedimentos administrativos, ele seguirá para o Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM 2) nesta quinta-feira (23), ambos localizados na rodovia BR-174.

O casal passou por exame de corpo de delito no Instituto Médico Legal (IML) após dormir em celas separadas, nesta terça-feira (21), na sede da Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Zona Leste de Manaus.

Os donos do supermercado Vitória prestaram depoimento sobre a morte de Lucas Ramon, na sede da DEHS. Eles chegaram na surdina e, além disso, o casal recebeu almoço entregue por um funcionário do estabelecimento comercial.

Investigação

Segundo a investigação da DEHS, Jordana e Lucas Ramon tinham um relacionamento extraconjugal desde dezembro de 2020. Além disso, ela desviava dinheiro do supermercado Vitória e repassava para o sargento.

Após a descoberta da traição, o sargento passou a ser ameaçado e devolveu uma quantia de R$ 200 mil para um funcionário do casal.

“No momento que a traição foi descoberta, o Lucas Ramon passou a ser vítima de ameaças. Ele teve uma mudança de comportamento, comprou arma de fogo e contratou segurança armada. Descobrimos que o Lucas devolveu uma quantia de R$ 200 mil a um funcionário do Vitória no Batalhão do Exército, onde o sargento trabalhava. Inclusive, nós temos fotos desse funcionário pegando a encomenda a pedido da dona Jordana”, explicou a delegada Marna de Miranda, adjunta da DEHS.

Justiça

O Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) informou que, “como as Audiências de Custódia ainda estão temporariamente suspensas em razão da pandemia, o Juízo plantonista das Audiências de Custódia analisou a noticia das prisões enviadas pela autoridade policial e, em conformidade com o entendimento do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE/AM), não constatou irregularidade aparente quanto aos seus cumprimentos, portanto, permanecerão presos até deliberação contrária”.

Relembre o caso

Lucas Ramon Guimarães foi assassinado na noite do dia 1° de setembro em um estabelecimento comercial no bairro Praça 14 de Janeiro, zona Sul de Manaus, ao lado do Hospital Santa Júlia. As câmeras de vigilância do local registraram o crime.

Um homem não identificado chegou no estabelecimento em uma motocicleta e se passou por cliente. Após ser atendido por Lucas, ele sacou uma arma e efetuou os disparos. O pistoleiro fugiu e não há informações sobre o paradeiro dele. A polícia informou que a motocicleta usada pelo criminoso era adulterada.

O sargento ainda foi socorrido e levado para o Hospital Santa Júlia, mas não resistiu aos ferimentos e morreu na unidade hospitalar.