Drogas são principal fator para o adolescente cometer ato infracional em Manaus, diz DPE

A maioria dos jovens que cometeram ato infracional em Manaus foi levada ao mundo do crime pelas drogas, segundo a defensora pública Juliana Linhares de Aguiar Lopes.

Atualmente, Manaus possui 765 adolescentes cumprindo medidas socioeducativas em mais de 300 instituições parceiras da Justiça, dentre elas escolas e unidades de saúde. Dentre os adolescentes, a maioria é do sexo masculino e com idade entre 16 e 18 anos.

De acordo com a defensora, que atua na Vara de Execução de Medidas Socioeducativas da Comarca de Manaus (VEMS), hoje é muito mais fácil o adolescente ter acesso ao tráfico de drogas.

“O traficante diz para o garoto: ‘se você avisar sobre a presença da polícia, eu darei o tênis que quiser, ou pago gás e a luz da sua casa, ou outra coisa’. Então, o jovem acaba se envolvendo com o tráfico e, uma vez nesse mundo, passa a cometer os atos infracionais”, disse a defensora pública.

Os dados foram apresentados durante o Seminário de Medidas Socioeducativas em Meio Aberto, realizado pela Escola Superior da Magistratura do Amazonas (Esmam), Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) e pela VEMS, na última quinta-feira (27).

O titular da VEMS, juiz de Direito Luís Cláudio Cabral Chaves, reforçou a necessidade de se realizar um trabalho junto aos adolescentes que estão no meio aberto – a grande maioria, pois apenas 70 jovens encontram-se no meio fechado.

“Só podemos trabalhar efetivamente se tivermos parceiros, todos – sistema de justiça, Município, Estado -, irmanados no intuito de reduzir os índices de reincidência, contribuindo decisivamente para a diminuição também dos números da violência e criminalidade”, acrescentou o juiz.

Com informações da assessoria do TJAM.