É maconha que não acaba mais: 108 quilos são aprendidos no valor de R$ 1 milhão

108 Kilos de Maconha 1

Em mais uma daquela apreensões que fazem com que a polícia já tenha atingido a marca de mais de 1,5 toneladas de drogas aprendidas este ano, policiais do Departamento de Investigação sobre Narcóticos (Denarc) apreenderam 108 quilos de maconha tipo skunk, na tarde da última segunda-feira, dia 7, no bairro Grande Vitória, zona Leste de Manaus. Foram presos, em flagrante, os colombianos Camilo Andres Rodrigues Sanches, 34, Cristian Maurício Morales, 25, e o amazonense Mário Jorge Rocha Maquine, 44, envolvidos no tráfico de drogas e associação ao tráfico.

108 Kilos de Maconha 2Segundo o diretor do Denarc, Samir Freire, após um minucioso trabalho investigativo, a equipe de policiais civis identificou, inicialmente, o brasileiro Mário Jorge Rocha Maquine e o colombiano Camilo Andres Rodrigues, na Avenida Perimetral, bairro Grande Vitória. “Os policiais fizeram campana desde as 9h da manhã de segunda-feira, no local da possível entrega, e por volta das 15h, eles abordaram Mário e Camilo, que estavam em um carro Prisma, cor preta. Com eles, a polícia encontrou dois quilos de maconha”, explicou.

Ao serem presos em flagrante, os dois homens apontaram o colombiano Cristian Mauricio Morales, 25, como sendo outro comparsa envolvido no crime.

Segundo apuração da Polícia Civil, Cristian utilizava uma casa na Rua Cruzeiro do Sul, bairro Grande Vitória, onde ele fazia a armazenagem dos entorpecentes. No local, a polícia encontrou vários extratos bancários, grande parte em nome de Mário Jorge. “Conforme investigações, eles movimentavam cerca de R$ 100 mil em menos de um mês. Só os 108 quilos de drogas apreendidos com eles estão estimados em torno de R$ 1 milhão”, disse o delegado Samir Freire.

De acordo com a Polícia Civil, os 108 quilos apreendidos são oriundos da Colômbia e, além de Manaus, seriam distribuídos no interior do Amazonas e até no exterior.

Conforme o delegado Samir Freire, Mário Jorge gerenciava o tráfico e a polícia está trabalhando com a possibilidade de identificar outros comparsas dele. “Iremos continuar com nossas investigações, acreditamos que possa haver outros envolvidos, pois encontramos extratos bancários em nome de várias pessoas, isso tudo está sendo apurado”, concluiu.

No momento em que estava sendo conduzido à polícia, o colombiano Camilo Andres ofereceu R$ 18 mil aos policiais civis, por esse motivo, ele também irá responder pelo crime de corrupção ativa. Após os procedimentos legais, os três homens serão encaminhados à Cadeia Pública Raimundo Vidal Pessoa.