É muita vergonha internacional, Brasil!

Reprodução Internet

Adianto logo a quem interessar que não vejo nada de errado no chefe de uma Nação comer pizza na rua. Nada há de censurável nisso! Mas a questão maior está nos motivos para que o presidente da Nação Brasileira, Jair Messias Bolsonaro e vários de seus ministros tenham ido parar em uma calçada qualquer de Nova York comendo pizza.

O jantar de Messias Bolsonaro tem a ver com o fato de que, nos Estados Unidos, existe a exigência de comprovação de imunização contra a Covid-19 para ingressar em ambientes internos de frequência coletiva, como restaurantes, bares, cafés e lojas.

Para fazer mais um de seus shows bizarros e sem noção, Bolsonaro e sua trupe driblam as normas sanitárias de outro país e mais uma vez dão um mau exemplo, dessa vez de magnitude internacional.

Bom lembrar que o presidente do Brasil está nos Estados Unidos para participar da Assembleia geral da Organização das Nações Unidas (ONU). Como bem diz o nome do evento, as Nações estão unidas, falando a mesma linguagem quando se trata das ações de prevenção ao coronavírus, combate a pandemia, além de medidas para conter as internações e mortes por Covid-19.

O único que não está incluído nessa política das Nações Unidas é o presidente da Nação Brasileira, o negacionista Messias Bolsonaro que sempre desdenhou da doença, falseou o número de mortos, fez brasileiros de cobaia enriquecendo empresas de remédios ineficazes e até perigosos para pacientes de Covid-19 e que faz campanha contra vacinas, mesmo estando claro que a imunização dos brasileiros tem feito cair drasticamente as internações e mortes.

Quando come na calçada, Bolsonaro não está mostrando sua humildade e desapego ao cargo. Bolsonaro mostra ao mundo sua ignorância, sua falta de respeito ao semelhante, sua falta de consciência coletiva e tantos outros valores mesquinhos de quem não é digno de ser um líder político mundial.

Messias Bolsonaro não representa um Brasil que é respeitado por seus avanços científicos e amado internacionalmente pela solidariedade do seu povo, pela alegria, pelo calor humano, hospitalidade e amor ao próximo.

Quem tem vergonha deve estar ruborizado com mais essa vergonha internacional protagonizada por Messias Bolsonaro.