E os 62 milhões de eleitores do Sudeste não selaram o destino de Dilma. A vitória veio do Norte e do Nordeste

lula dilma cocar

Com uma diferença de votos de apenas 3 pontos percentuais para seu adversário Aécio Neves (PSDB) a presidente e candidata à reeleição Dilma Rousseff (PT) contou com o Norte e o Nordeste para “salvar sua pátria”, como se diz popularmente. O resultado final da votação para presidente foi de 51,64% para Dilma e 48,36% para Aécio. Mesmo Dilma ganhando no Estado do seu adversário, Minas Gerais, como ocorreu também no primeiro turno, e ainda no Rio de Janeiro, a diferença nesses dois Estados foi pequena diante do resultado da apuração em São Paulo onde Aécio colocou mais de 6 milhões de votos na frente de Dilma (64,31 a 35,69%).

Mas, os votos salvadores vieram dessa parte aqui do Brasil. Dilma ganhou em todos os Estados do Nordeste, até no Estado do falecido Eduardo Campos, Pernambuco, que no primeiro turno deu a vitória para Marina Silva. E os percentuais de votos de Dilma nesses Estados sempre foi superior a 60% ou 70% dos eleitores. No Norte do País, o estado em que Dilma teve a maior diferença de votos para Aécio Neves foi o Amazonas com 65% para a petista e 35% para o tucano, quase o dobro de votos, 1.032.259 eleitores votaram nela e 555.801 votaram nele. E aí estava selado o destino de ambos, com a reeleição de Dilma Rousseff. (Any Margareth)

Rio de Janeiro - RJ