É piada ou deboche com a cara do povo: prefeitura “pune” Manaus Ambiental com advertência

{d53e4f6f-5164-4a00-a91f-1ae8c7d27679}_adutora

 

Foi divulgada nos principais sites de notícia da cidade, uma publicação que está no Diário Oficial do município (DOM) dessa sexta-feira (19) – ainda têm a “coragem de publicar no Diário Oficial”. A prefeitura Municipal de Manaus, mas precisamente, o subprocurador-geral do Município, Rafael Albuquerque Gomes de Oliveira, com o devido endosso do prefeito Artur Neto, determinou a aplicação da “pena de advertência” à Manaus Ambiental, e ainda denomina isso de penalização.

Os donos e diretores da Manaus Ambiental devem, numa hora dessa, estar dando risadas da nossa cara. Se eu fosse eles, também estaria. Depois de tudo que aconteceu nesses últimos meses, rompimentos de adutoras, casa alagadas, pessoas perdendo tudo que tinham, carros arrastados e invadidos pela lama, canos estourando e abrindo buracos no asfalto, trânsito interrompido, engarrafamentos causado por problemas de canalização rompendo em vias públicas, falta d’água em vários bairros da cidade, o prefeito decide: “A PGM [Procuradoria Geral do Município] deverá adotar o procedimento adequado para a execução da sanção administrativa”, assina o prefeito. Sanção admin istrativa? Eu li direito?

E ainda houve site de notícia, divulgando a “penalidade” como se fosse um grande feito, uma medida disciplinadora e punitiva da Prefeitura de Manaus para com a Manaus Ambiental. Repetindo o apelo feito pelo Radar em matéria anterior, cujo tema era transporte coletivo, pelo amor de Deus, não abusem da nossa inteligência, e muito menos da nossa paciência. Se nem as multas impostas a essa concessionária de serviços públicos fazem essa empresa prestar um serviço digno à população de Manaus, multas que não se sabe nem se são pagas, que dirá uma mera advertência. Não somos tolos de não saber (e nem acreditamos que os procuradores do Município e muito menos o prefeito Artur Neto sejam) de que advertências têm sido aplicadas, administração após administração, contabilizadas em centenas, quem sabe em milhares de advertências, e a Manaus Ambiental, desde épocas que tinha outros nomes como Águas do Amazonas, deve pegar esse pedaço de papel com o registro da advertência e limpar o fundo da gaveta de algum chefe da empresa.

E junto com a tal da advertência ainda tem notícia amplamente divulgada que registra as críticas feitas pelo prefeito pela falta de investimentos (R$ 30 milhões) por parte da empresa no sistema de abastecimento de água em Manaus, diga-se de passagem, investimentos que seriam obrigatórios segundo cláusulas contratuais. Entenda meu povo, uma concessionária de serviço público não cumpre o que é determinado pelo Poder público que lhe deu a concessão e a única coisa que acontece é ser criticada. Dá pra suportar uma coisa dessa? Aqui no Radar, não dá! (Any Margareth)