“É uma questão de justiça com o povo”: diz Braga sobre indiciamento de Wilson Lima e Marcellus Campêlo pela CPI da Covid-19

Relator da CPI atendeu ao pedido de Eduardo Braga e incluiu o governador e o secretário de saúde do AM no relatório final da comissão

Foto: Reprodução

O relator da CPI da Covid, Renan Calheiros (MDB-AL), incluiu entre os pedidos de indiciamento do relatório final o governador do Amazonas, Wilson Lima (PSC), e o secretário de Saúde do estado, Marcellus Campelo. A inclusão atende ao pedido do senador Eduardo Braga (MDB/AM). Em entrevista à imprensa nacional na manhã desta terça-feira (26) o senador afirmou que a inclusão dos nomes é uma ‘questão de justiça’ com os amazonenses.

“É uma questão de justiça com o povo amazonense. Nós estabelecemos que foi o tratamento precoce que aconteceu no Amazonas que provocou o indiciamento da Mayra Pinheiro. Foi o tratamento precoce que estabeleceu indiciamentos do Pazuello [Ex-ministro da saúde] e do presidente Bolsonaro. E quem promoveu pelas suas unidades de saúde, o tratamento precoce ? como o secretário de saúde e o governador do Amazonas? eles vão ser excluídos do relatório?”, declarou Braga.

Wilson Lima usou suas redes sociais para responder as declarações do senador. O governador que também é réu no STJ por supostos crimes cometidos na pandemia, acusou Eduardo de estar tentando sabotar sua gestão.

“Seu interesse visa exclusivamente às eleições de 2022 e a razão da vida dele é tentar sabotar o meu governo, que vem fazendo mais em dois anos do que ele em 8. Deixa o trabalho falar, senador, e pare de picuinha”

“Eduardo Braga está agindo da forma que os amazonenses já conhecem. À base de AMEAÇA para incluir meu nome no relatório da CPI, prometendo não votar caso não consiga o que quer. Ele quer incluir meu nome no relatório final – mesmo sabendo que não fui sequer investigado pela CPI”

Eduardo Braga comemorou a inclusão de Wilson Lima e Marcellus Campelo na lista, e afirmou que vai votar de acordo com o relatório.

“Como o relator acolheu em completo o adendo apresentado por nós, inclusive o indiciamento do governador e do secretário estadual, eu posso retirar meu voto em separado que acatava todo o relatório de vossa excelência e apenas aditava a questão do indiciamento”, afirmou Braga.

Acordo

A inclusão de Wilson e Campêlo no relatório aconteceu após uma acordo intermediado por Eduardo Braga com o presidente da CPI, sendador Omar Aziz (PSD) e com os membros do “G7” que inclui além de Aziz, os senadores Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Renan Calheiros (MDB-AL), Otto Alencar (PSD-BA), Humberto Costa (PT-PE), Alessandro Vieira (Cidadania-SE) e Rogério Carvalho (PT-SE).

Otto Alencar foi peça chave nas articulações sobre a inclusão. Ele afirma que mediou os acordos entre Braga e Omar.

“Quando deu 1h da manhã, eu botei o Omar para conversar com o Eduardo. (…) O Omar entendeu direito a visão dele. Pelo que ficou de noite, o relatório vai constar o nome do governador e do secretário de saúde do Amazonas”