Eduardo Braga aproveita “batalha” contra cobranças abusivas de contas de energia elétrica para rebater “fake news” 

denúncia eduardo braga lava jato

Foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil

O senador Eduardo Braga (MDB), ao mesmo tempo em que enfrenta uma verdadeira “batalha” contra cobranças abusivas nas faturas de energia elétrica do amazonenses, aproveitou para esclarecer que nunca foi o responsável pelo aumento da tarifa da energia elétrica na época em que era ministro de Minas e Energia entre 2015 e 2016 no Governo Dilma Rousseff (PT). Ele se posicionou sobre o tema afirmando ser “fake news” quem atribuiu os aumentos ao senador Braga.

De acordo com ele, durante o governo de Fernando Henrique Cardoso, ainda em 1997, houve a criação de agências reguladoras para fiscalizar a qualidade do serviço prestado, além de oferecer normas, causando um aumento tributário que ele afirma não ser de sua competência. “Quem é responsável pela definição da tarifa de energia elétrica não é nem o ministro, nem o presidente da república. É a Aneel, Agência Nacional de Energia Elétrica. Sobre que base? Sobre a base de cálculo que os técnicos elaboram. Portanto, eu nunca defendi e nunca implementei isso. Isso não passa de calúnia, Isso não passa de fake news”, afirmou Braga.

Vale lembrar que o senador vem travando no último ano uma briga com a concessionária de energia de Manaus, que deseja instalar medidores remotos de energia nos postes da cidade, numa altura de quatro metros do chão, o que impede a fiscalização do consumo pelo próprio cidadão. Esses medidores estão sob suspeita de fraude após os consumidores receberem faturas com valores abusivos, em casos quase o dobro do consumo registrado anteriormente. 

Na última quarta-feira (8), o desembargador Lafayette Carneiro Vieira Júnior acolheu recurso (agravo de instrumento) interposto pelo Senador Eduardo Braga (MDB) e suspendeu a instalação dos novos medidores de consumo de energia elétrica em Manaus, instalados pela Amazonas EnergiaIsso faz cair por terra a decisão da Justiça em favor da concessionária de energia elétrica, na qual foi concedido o direito da implantação desse novo sistema, composto de medidores que são instalados nos postes.

Em rede social, o senador Eduardo Braga comemorou a decisão favorável ao seu pedido e que suspendeu a instalação. “Justiça acolhe nosso recurso e suspende a instalação de novos medidores de energia. Estamos juntos dos amazonenses nessa luta”, postou o senador.

Essa semana, Eduardo Braga relatou Projeto de Lei (PL), aprovado pela Câmara dos Deputados, que reduz a conta de energia elétrica e beneficia mais de um milhão de consumidores amazonenses.