Eduardo Braga defende criação da carteira digital de vacinação para evitar desvios de doses do imunizante contra a Covid-19

Foto: Assessoria

O senador Eduardo Braga (MDB) voltou a defender a criação da carteira digital de vacinação, além do rastreamento das doses da vacina na Campanha Nacional de Imunização contra a Covid-19. O Projeto de Lei, proposto pelo parlamentar, tramita na Câmara Federal e considera as inúmeras denúncias de desvios de doses não só no Amazonas mas também no Brasil.

O PL 2.517, da carteira digital, aprovado pelo Senado no dia 15 de dezembro de 2020, estabelece medidas de controle, segurança e transparência no processo de imunização no país. O rastreamento contempla todas as etapas da campanha de vacinação, incluindo fabricação, importação, distribuição, transporte, armazenagem e dispensação.

A proposta é evitar a interferência na autonomia de estados e garantir transparência à distribuição das vacinas no Brasil. A carteira de vacinação digital conterá a detalhes sobre portador, soros aplicados e pendentes, fabricantes, lotes e os eventuais efeitos colaterais identificados.

Desde o início da distribuição da vacina, a imprensa vem divulgando notícias de desvio de doses do imunizante para privilegiar funcionários públicos e personalidades políticas que estão fora dos grupos prioritários estabelecidos pelo plano de imunização. No Amazonas, os tribunais de Contas do Estado (TCE) e de Justiça (TJAM) pediram informações do governo e da prefeitura para investigar a suspeita do desvio de mais de 60 mil doses da vacina distribuídas pelo Ministério da Saúde.

Em suas redes sociais, Eduardo Braga ressaltou a necessidade da Câmara de aprovar o PL. “Só assim, com total transparência pública, será possível garantir a vacina contra a Covid-19, neste momento, aos grupos prioritários”, disse o parlamentar.

*Com informações da assessoria