Eduardo Braga reúne com oficiais da Polícia Militar

braga-polícia-militar

O senador Eduardo Braga, candidato ao Governo do Amazonas pela coligação “Renovação e Experiência”, reuniu na noite desta segunda-feira (08/09), no hotel Da Vincci, com oficiais da Polícia Militar do Amazonas para falar sobre a situação da segurança pública no Estado.

Preocupado com o caos que se instaurou no setor, o senador convocou a reunião para ouvir dos próprios oficiais quais são as demandas e que possíveis soluções podem ser tomadas para que tanto a população quanto os policiais tenham mais tranquilidade no seu dia a dia.

Na terça-feira passada (02/09), Eduardo Braga denunciou no Senado Federal o que chamou de situação dramática da segurança no Estado do Amazonas. O senador falou

sobre a rebelião ocorrida na segunda-feira (1º ), em Parintins, relatando os atos de violência brutal que aconteceram no presídio da cidade. “Pessoas foram decaptadas. Em um governo que, durante quatro anos e meio, não concluiu uma obra no sistema prisional no Estado do Amazonas. A situação é absolutamente crítica”, disse.

O senador se pronunciou ainda sobre os fatos lamentáveis ocorridos na terça-feira (2). “Ainda no dia de hoje, um cidadão, assessor de um dos candidatos ao governo, foi brutalmente assassinado com dois tiros na porta do comitê”, denunciou.

“Acabo de ser informado de que vários comandantes das tropas especiais da Polícia Militar do Amazonas estão entregando o cargo em sinal de protesto contra a absoluta falta de planejamento, a absoluta falta de governança, em relação à marginalidade e à criminalidade no Amazonas”, continuou o senador, em seu pronunciamento indignado, referindo-se aos comandantes das Tropas Especiais, da Tropa Ambiental, da Tropa de Choque, da Tropa da Zona Leste e do Comando de Manutenção e Logística.

Eduardo Braga também denunciou a situação de uso da máquina do Estado para fins eleitorais. “Enquanto isso, e falo com absoluta tristeza para comunicar ao Brasil o que está acontecendo no meu Estado, a máquina do governo está pressionada, humilhada, como nunca se viu na democracia do Amazonas”, declarou.

“Quero, portanto,  fazer uma denúncia ao Brasil e à imprensa nacional de que a situação no Amazonas é crítica na área de segurança. Faço aqui um apelo ao Senado da República que acione o Ministério da Justiça, que acione as autoridades competentes, para que nós não tenhamos mais episódios dramáticos como estes no Estado do Amazonas”, concluiu o senador, em seu pronunciamento no senado.