Eduardo Braga sugere a prefeitos e extrativistas do Rio Madeira a criação de um cadastro e de um manual para exploração mineral

Foto: divulgação

O senador Eduardo Braga (MDB/AM) recomendou, nesta quarta-feira (01/12), que as prefeituras dos municípios amazonenses que pertencem à Bacia do Rio Madeira, região onde foi deflagrada uma operação da Polícia Federal que incendiou mais de 130 balsas, façam um cadastro de balsas e dos extrativistas de minério, assim como um manual normativo para o exercício da atividade na área.

“Feito isso tudo, sugiro que volte uma comissão a Brasília com esses documentos para que a bancada do Amazonas no Congresso comece a se mobilizar junto às autoridades e aos órgãos competentes. Faremos o que tiver ao nosso alcance para ajudá-los”, disse o parlamentar durante reunião com os demais senadores e deputados federais do Estado, representantes dos extrativistas e os prefeitos de Humaitá (José Cidenei do Nascimento – Denei), Manicoré (Paulo Sérgio Machado Barbosa), Novo Aripuanã (Jocione dos Santos Souza) e Borba (Simão Peixoto). Também participou o diretor-presidente do Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Juliano Valente.

Quando esteve à frente do Governo do Estado do Amazonas, entre 2003 e 2010, Eduardo organizou o setor, instituindo um cadastro detalhado dos que se dedicavam à exploração mineral e as regras para licenciamento. “Havia, na época, uma série de pré-condições. Uma delas era o uso do cadinho”, disse o senador, referindo-se a um equipamento que recupera o mercúrio usado para separar o ouro das impurezas. “Lamentavelmente, hoje não sabemos quantas balsas usam ou não o cadinho”, afirmou Eduardo.

Danos

O senador se dispôs, ainda, a providenciar recursos federais, por meio de emenda ao Orçamento da União, aos municípios onde foram registrados danos materiais às famílias que tiveram suas balsas (residências) afetadas pelos incêndios.

(*) Com informações da assessoria