Educação indígena: Amazonas na contramão da História, diz Vicente Lopes

Vicente capa

Vicente 2O Amazonas tem a maior população indígena do país, mas está na contramão da História, com a extinção da Secretaria de Assuntos Indígenas, na opinião do deputado Vicente Lopes (PMDB). Presidente da Comissão de Assuntos Indígenas da Assembleia Legislativa do Amazonas, ele representou a Casa no Foreeia (Forum de Educação Escolar Indígena do Amazonas, nesta quarta-feira 18, no Parque do Mindu (zona centro-sul de Manaus). A Seind foi extinta pelo governador José Melo (Pros), numa das reformas administrativas de 2015. Ao se manifestar no Fórum, Vicente Lopes elogiou a iniciativa de lideranças indígenas na luta pela organização da educação para essa população.

O resultado do fórum desta quarta-feira será transformado em documento a ser entregue amanhã 18, às 11h30, na Comissão Indígena presidida por Vicente Lopes. Outros órgãos, como a Secretaria de Educação do Estado, também receberão o documento com as reivindicações dos indígenas. Muitas das reivindicações podiam ser vistas nas faixas espalhadas no local do evento. “O Estado do Amazonas tem a maior população indígena com a pior Educação Escolar (indígena) do Pais”, lia-se numa das faixas. “Exigimos concurso público para professores indígenas”, estava escrito em outra.

Várias reivindicações/reclamações através de faixas podiam ser lidas: “Falta de Ensino Médio nas aldeias causa esvaziamento das terras indígenas”. “Queremos Escolas Indígenas bilíngue (sic)”. Nós, povos indígenas, cobramos os nossos direitos já garantidos por lei”. E havia uma grave denúncia em uma das faixas: “Censo INEP: 197 escolas fantasmas sem regularização”.