Ele já agrediu a ex-mulher, já provocou um incêndio e agora fez disparos contra a casa dela

Violência doméstica 1

Antes que Irlaliel Sobrinho dos Santos, 27 anos, acabe matando sua ex-companheira, a Justiça o colocou atrás das grades. Policiais do 4º Distrito Integrado de Polícia (DIP), em cumprimento a mandado de prisão preventiva,  prenderam Irlaliel em sua residência, localizada na rua São José, beco Rui Barbosa, bairro Compensa 2, na Zona Oeste de Manaus, por ter efetuado disparos de arma de fogo contra a residência de sua ex-companheira.

A prisão ocorreu por volta das 6h30 desta quinta-feira (30), em cumprimento a mandado de prisão expedido no dia 29 de outubro, pelo juiz Antônio Carlos Marinho, do 1º Juizado da Maria da Penha.

Violência doméstica 2O preso já tem passagem na Polícia Civil por crimes de lesão corporal, incêndio criminoso e ameaça. Todos cometidos neste ano e investidos contra a sua ex-companheira, com quem teve um relacionamento de dois anos. De acordo com o Delegado Titular do 4º DIP, Alessandro Albino (foto), o casal está separado há seis meses, porém, o homem nunca aceitou o fim do relacionamento e praticou os crimes com o objetivo de intimidar a vítima e fazê-la reatar o relacionamento.

No dia 6 de outubro, Irlaliel ateou fogo no portão da residência da ex-mulher e foi chamado a comparecer no DIP para prestar esclarecimentos sobre o fato. Ele compareceu à distrital no dia 22 de outubro e, após sair da delegacia, foi até a casa da vítima, localizada no conjunto Castanheiras, na Zona Leste, e efetuou três disparos contra o muro da residência.

Na unidade policial, o homem informou que emprestou a arma de um amigo, e esse mesmo amigo o levou até a casa da ex-companheira para efetuar os disparos. O Delegado Alessandro Albino ressaltou que as investigações estão em andamento para identificar o comparsa. A arma utilizada no crime não foi localizada.

“Aconselhamos que a mulher que for vítima de violência doméstica ou qualquer outra violação não deve se amedrontar. Deve ir até a delegacia mais próxima e registrar a denúncia para exigir os direitos que lhe cabem. A Polícia Civil realizou essa prisão visando, principalmente, evitar que um crime mais grave viesse ocorrer”, destacou Albino.

Irlaliel foi indiciado por crime de disparo de arma de fogo e será encaminhado para a Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde ficará à disposição da Justiça.