Ele tem duas acusações de estupro em “segredo de Justiça” e foi preso pelo mesmo crime

A polícia descobriu, após ele ter sido preso sob acusação de estupro, que Fernando Cardoso Freire, 40 anos, é réu em dois outros processos, pelo mesmo crime, que correm no tal do “segredo de Justiça” no Juizado da Infância e da Juventude (JIJ-Cível), o que nos leva a crer que, nesses casos, esse indivíduo deve ter atacado crianças ou adolescentes. E enquanto a Justiça manteve segredo dos seus atos e não decidiu com rapidez pra que ele fosse encarcerado, ele é acusado de ter continuado estuprando. Dessa vez, Fernando Cardoso Freire é acusado de ameaçar com um revólver e estuprar uma jovem de 23 anos que ia para o trabalho.

Ele foi preso por Investigadores do 21º Distrito Integrado de Polícia (DIP), sob o comando do delegado titular, Ricardo Leite, nessa segunda-feira, dia 27, por volta das 15h, em cumprimento a mandado de prisão por estupro. Fernando foi interceptado em via pública, na Rua Esperança, bairro Gilberto Mestrinho, zona Leste da cidade.

Relatou o delegado, que o crime ocorreu no dia 6 de junho de 2015. Durante depoimento, a vítima, uma atendente, na época com 23 anos, contou que saiu da casa onde morava por volta das 5h para ir trabalhar, quando o infrator a abordou, em posse de uma arma de fogo, e a levou até um terreno baldio localizado na Rua Voluntários da Pátria, bairro Vila da Prata, zona Oeste, onde cometeu o delito. A vítima registrou a ocorrência no 19º DIP.

Conforme Ricardo Leite, a identificação do acusado só foi possível por meio de material genético. “Após o resultado do exame de conjunção carnal, que confirmou o estupro, representamos o mandado de prisão preventiva em nome do infrator. O documento foi expedido no dia 20 de março deste ano, pela juíza Andréa Jane Silva de Medeiros, da 5ª Vara Criminal. Foi constatado, ainda, que Fernando está envolvido em outros dois casos de estupro que seguem em segredo de Justiça no Juizado da Infância e da Juventude Cível (JIJ – Cível)”, explicou o delegado.

Fernando foi indiciado por estupro – e, na opinião de euzinha,  devia ser indiciado também quem não tirou esse cara das ruas. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial ele será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória Masculino (CDPM), onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Ricardo Leite pede a outras possíveis vítimas do acusado, para formalizarem as ocorrências no prédio do 21º DIP, situado na Rua Zuleide Brito, bairro São Jorge, zona Oeste da capital.

FOTO: Divulgação/ Assessoria de Imprensa da PC-AM