Eleições 2016: preparem as armas, caciques em pé de guerra!

Alfredo e Omar X Artur e Braga

Visivelmente, os dias parecem transcorrer em calmaria mesmo a gente estando num período eleitoral, não é mesmo? Que parece, parece, mas não passa de uma sensação enganosa. Os sinais invisíveis aos olhos captados pelo Radar mostram que a calmaria é apenas aparente. Às portas fechadas são traçadas estratégias de “guerra política” sob o comando dos caciques locais.

E para o combate não está faltando “artilharia pesada” como vídeos, áudios e matérias antigas de jornal. Se de um lado já estão bombardeando nas redes sociais o fato do senador Eduardo Braga (PMDB) e de Artur Neto (PSDB), adversários históricos, estarem do mesmo lado na eleição desse ano, do outro, também não são poucos os ataques a união do deputado federal Alfredo Nascimento (PR) com o senador Omar Aziz (PSD), que em eleições passadas se acusaram mutuamente de serem os responsáveis por campanhas difamatórias de corrupção e até de abuso sexual de menores um contra o outro.

Também já “boiaram” imagens e textos do então deputado Marcelo Ramos (PR) largando a peia no seu agora apoiador Omar Aziz que, na época, era governador do Estado. E já tem gente postando também o chamado “abraço da morte” de Marcelo Ramos com ninguém menos do que o professor José Melo que é mais rejeitado nas pesquisas de opinião pública que o Estado Islâmico.

E não é só no front de campanha política que o clima tá pegando fogo! Pelos corredores dos órgãos oficiais o que se comenta é que “cabeças vão rolar” se “o bom e humilde filho de seringueiro” – frase usada na campanha eleitoral passada do governador – professor José Melo pelo menos sonhar que as secretarias estaduais estão colaborando com a Prefeitura de Manaus.

Quando se trata das trincheiras de Artur Neto, a situação não é muito diferente. O povo de lá também quer distância da administração de José Melo, por motivos óbvios, né mesmo gente? E se o clima de animosidade já está desse jeito agora, que dirá quando a campanha eleitoral começar pra valer e tiver início o horário de propaganda eleitoral, vai ser um Deus nos acuda. E aí todo cuidado é pouco pra não ficar em meio ao fogo cruzado, meu povo! (Any Margareth)