Em 18 meses, ouvidoria do TCE já recebeu mais de 800 manifestações

A ouvidoria do Tribunal de Contas do Amazonas (TCE-AM) já recebeu um total de 822 manifestações de cidadãos da capital amazonense no período de janeiro de 2018 a julho de 2019. As manifestações abrangem denúncias de irregularidades, críticas e sugestões, solicitações de informações e consultas sobre questões relacionadas à Administração Pública.

De acordo com o TCE, do total de 822 manifestações, 613 foram enviadas por meio eletrônico sendo 302 pelo site da Ouvidoria, 190 por e-mail e 121 pelo número de WhatsApp disponibilizado pelo Tribunal de Contas.

O balanço das ações da Ouvidoria foi divulgado pelo ouvidor-geral do TCE-AM, conselheiro Érico Desterro, durante a sessão do Pleno da Corte de Contas, realizada na última terça-feira (13).

“Percebemos que o mundo mudou, sobretudo na comunicação entre a sociedade e a Administração Pública, e temos que nos adaptar a isto. Das 822 manifestações, 328 foram manifestações abertas nas quais o cidadão se identificou e 172 foram anônimas. Neste último caso, adotamos procedimentos preliminares de apuração antes de instaurarmos qualquer processo de investigação”, disse o conselheiro.

Para a presidente do TCE-AM, conselheira Yara Lins dos Santos, o trabalho realizado pela Ouvidoria da Corte de Contas traz muitos benefícios para a sociedade quando se tem uma Ouvidoria forte e participativa.

“Parabéns conselheiro Érico e toda a sua equipe. Nossa Ouvidoria tem estado cada vez mais próxima da população. Quem ganha com isso é o Tribunal e toda sociedade”, disse a conselheira Yara Lins dos Santos.

Rodas de cidadania

O ouvidor-geral do TCE-AM, conselheiro Érico Desterro, informou, ainda, os resultados positivos do Rodas de Cidadania que tem como objetivo levar a Ouvidoria da Corte de Contas para os municípios do interior do Estado com a realização de audiências públicas para ouvir as demandas da comunidade.

O projeto já foi realizado em Parintins, Benjamin Constant, Itacoatiara, Manacapuru, Careiro, Presidente Figueiredo, Itacoatiara, Tabatinga, Novo Airão e Tefé.

(*) Com informações do TCE