Em 2016, que os sinais de amor do Radar consigam atingir os corações dos homens!

Radar-ano novo

Muito se fala em crise econômica e crise política, mas pouco se fala em crise moral, crise emocional e, arrisco a nominar, crise de amor. Lembro-me agora da Copa do Mundo onde foi comovente ver cidadãos aos milhares, lotando estádios, ou até mesmo em frente à televisão, com lágrimas nos olhos, mão ao peito, e cantando aos berros o Hino Nacional. Uma manifestação de civismo, de amor à Pátria como poucas na nossa história. Porém, será que esse mesmo civismo é visto no dia a dia, em atitudes que podem parecer insignificantes, como obter vantagem num negócio em que a outra parte é menos esclarecida, como furar uma fila porque conhece a moça do caixa, ou achar que o filho foi esperto porque passou colando, ou aplaudir quando ele entra numa briga e bate no mais fraco…?.

Para essas pessoas isso nada tem a ver com civismo! Mas, é só lembrar que civismo significa “dedicação e fidelidade ao interesse público”. E perguntar: o que desrespeitos como esses aos direitos dos outros interessam a cada de um de nós, portanto a todos nós? Nada, não é mesmo? Porque, com isso, se mantém uma pratica costumeira de que, quando fazemos certas coisas, ou nossos filhos fazem, é sinônimo de esperteza, quando outras pessoas fazem é safadeza, ilegalidade, corrupção! E aí você pode me perguntar o que isso tem a ver com a falta de amor!

Pois eu lhe digo que tem tudo a ver! Porque, quem ama, não faz com o próximo aquilo que não quer seja feito consigo. Como disse Jesus Cristo, o maior de todos os mandamentos é “amar ao próximo como a si mesmo e a teu Deus sobre todas as cousas”. E pode ainda, ter alguém que pergunte: Mas, o que isso tem a ver com o Ano Novo?

E eu respondo novamente! O amor pode mudar o rumo da nossa história. Pode fazer a dificuldade em tempos de crise se transformar em solidariedade, onde o fardo de cada um ficará mais leve com uma mãozinha dada pelo outro. O amor pode fazer com que nossos filhos, diante dos ensinamentos certos, façam desse País, uma Nação mais justa para todos. Somente o amor poderá tocar o coração dos homens públicos e fazer ver que uma obra de cimento e tijolo não vale mais do que a vida de alguém doente. Só amor pode sensibilizar um gestor para evitar a morte de um homem que só queria um teto para si e sua família. Pode mostrar que uma peça publicitária com a idolatria à sua imagem não vale mais do que o sorriso de uma criança diante da merenda escolar. Que uma festa de fim de ano, com gastos com shows e queima de fogos, não vale nada diante de uma escola que foi fechada.

E pra terminar, meu povo, somente o amor aos nossos irmãos pode fazer com que tenhamos a consciência de que, em 2016, em frente a urna, temos na ponta do dedo o destino da nossa gente. Se você acha que aquele cara que está na tela da urna não tem amor, o que significa que não tem compromisso com nosso povo, delete, pelo amor de Deus! Ou então dê um voto de confiança a alguém que você acredita que tem amor no coração! Votar com consciência também é uma prova de amor!

E o Radar deseja um Ano Novo cheio de amor pra você! (Any Margareth)