Em assembleia, peritos do Amazonas aprovam indicativo de greve

O Sindicato dos Peritos Oficiais do Estado do Amazonas (SINPOEAM) aprovou em assembleia, na manhã do último sábado (28), indicativo de greve. A categoria solicita junto ao governo do Amazonas pagamento das datas-base em atraso, prometidas pelo governador Wilson Lima (União Brasil), durante reunião em abril deste ano.

De acordo com o presidente do Sindicato, Ilton Soares, todas as demandas da categoria serão repassadas ao governo com prazo para que sejam solucionadas junto aos Peritos do Amazonas.

“Infelizmente a categoria vem há anos tentando o diálogo com o governo, mas apesar das tentativas não fomos atendidos. Estamos nos mobilizando enquanto esperamos uma resposta do governo.”, ressaltou Ilton Soares.

Em abril deste ano, o governador se reuniu com representantes da categoria e garantiu um aporte financeiro para pagamento de atrasos referente as datas bases dos anos de 2019 e 2020, mas não cumpriu a promessa.

Relembre o caso

O governador Wilson Lima ficou de encaminhar no início de abril à ALE-AM (Assembleia Legislativa do Amazonas) projeto de lei de integralidade e paridade da Polícia Civil do Estado em relação à aposentadoria da categoria. O anúncio foi feito durante reunião, na sede do Governo do Estado, zona oeste de Manaus, com representantes dos sindicatos dos delegados, comissários, investigadores, escrivães e peritos.

“Vamos encaminhar para Assembleia Legislativa, no prazo de aproximadamente 10 dias, a lei que regula e disciplina a questão da previdência para garantir que esses servidores continuem tendo seus benefícios todas as vezes que os policiais da ativa forem beneficiados, como reconhecimento aos serviços prestados à sociedade amazonense”, disse o governador à época.

A lei deveria assegurar aposentadoria à categoria, com os proventos correspondentes à remuneração do cargo efetivo ocupado antes de entrar em inatividade.

Wilson Lima anunciou, ainda, o pagamento de parte do escalonamento de investigadores e escrivães e data-base atrasada dos peritos e dos delegados. Ele disse, também, que as negociações em relação às demandas dos servidores administrativos e às promoções e redistribuições iam continuar.

“Ficou acordado que a gente vai pagar este ano R$ 20 milhões referentes ao escalonamento dos investigadores e escrivães, vamos pagar datas bases atrasadas dos peritos e também dos delegados de Polícia Civil. Nós estamos também discutindo a questão dos administrativos e também a questão das promoções e da redistribuição, esse é um governo que escuta as pessoas, que dialoga”, prometeu o governador.