Em áudio, bombeiros xingam Cacau Protásio: “Aquela gorda, preta”

A atriz Cacau Protásio denunciou, em seu Instagram, a conduta racista e homofóbica de bombeiros do Rio de Janeiro durante as gravações de seu próximo filme, Juntos e Enrolados. Recentemente, ela e quatro bailarinos estiveram no Quartel-Central do Corpo de Bombeiros, na capital fluminense, onde filmaram cenas nas quais ela, vestindo a farda da corporação, realiza uma coreografia.

Os áudios haviam sido divulgados nessa terça-feira (26/11/2019) pelo colunista Leo Dias. Em um deles, é possível ouvir: ”Vergonhoso. Mete aquela gorda, preta, numa farda de bombeiro, uma bucha de canhão daquela, com um monte de bailarino viado, quebrando até o chão. Vão achar que é o que? Bombeiro? Aquilo é tudo viado. Lamentável”.

Em um segundo, mandado em um grupo de WhatsApp, um oficial afirma: “Olha a vergonha no pátio do quartel central. Essa mulher do Vai que Cola, aquela gorda, colocou a farda e botou os dançarinos viados com roupa de bombeiro. Isso é um esculacho, rapaz. Qual é a desse comandante? Vai deixar uma p… dessas no pátio do quartel?”

Nesta quarta (27/11), Cacau denunciou o comportamento vergonhoso dos bombeiros. Em quatro vídeos, ela conta o que aconteceu — “Estou fazendo um filme onde faço um bombeiro e fomos gravar, domingo, no batalhão do centro da cidade” — e denuncia o racismo.

“Um bombeiro fez vídeo de uma cena solta e espalhou, me chamando de negra, gorda, filha da puta. Não entendi porque tanto ódio. Eu sou negra, sou gorda, sou brasileira, sou atriz. Não mereço ser agredida assim, como nenhuma pessoa [merece]“, diz ela nas imagens.

E lembrou: “Racismo é crime. Os bombeiros são uma corporação que respeito, que amo. Sei que sou uma pessoa forte, mas ouvir tudo isso de um ser humano é horrível. Como uma pessoa que veste uma farda tão linda tem essa postura? Como você dizer que ele salva vidas tendo essa postura e falando tanta coisa horrorosa?”, lamenta Cacau. Na tarde desta quarta, a assessoria de imprensa do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro emitiu uma nota sobre o caso à revista Quem:

O Corpo de Bombeiros Militar do Estado do Rio de Janeiro (CBMERJ) informa que não compactua com qualquer ato discriminatório. A corporação se solidariza com a atriz Cacau Protásio e já abriu procedimento interno para identificar o(s) militar(es) e apurar a conduta.

O CBMERJ reforça o seu compromisso com a população de Vida Alheia e Riquezas Salvar independente de cor, gênero, raça ou qualquer outra distinção. Os atos divulgados não representam a corporação centenária que, por anos seguidos, é considerada a instituição mais confiável do Brasil“.