Em Brasília, Rotta reafirma compromisso com a candidatura de Dilma Rousseff e Michel Temer e defende a Reforma Política no Brasil

Rotta-BrasíliaEm um encontro com os caciques do PMDB nesta quarta-feira (8), que contou  com a participação de deputados federais eleitos e não reeleitos, o líder do partido na Assembleia Legislativa do Amazonas, deputado Marcos Rotta falou sobre sua trajetória política e mais uma vez confirmou apoio á candidatura de Dilma Rousseff (PT) e Michel Temer (PMDB) á presidência da república.

“Alguns parlamentares ensaiaram apoio ao candidato Aécio Neves. Eu firmo o meu apoio á candidatura de Dilma e Temer e respeito a convenção partidária, onde homologamos chapa com a presidente Dilma.  Devemos manter o equilíbrio e o bom senso. Mantenho, sobretudo, a minha posição como um parlamentar defensor do Amazonas, que é a de reconhecer a parceria dos governos de Lula e Dilma com o nosso Estado”, afirmou Rotta.

O deputado Marcos Rotta  destacou grandes obras, feitas no Amazonas, com o apoio  do  Governo Federal.

“O Amazonas contou com recursos federais para inúmeros projetos que beneficiam diretamente a população. A ajuda federal veio para a construção de conjuntos habitacionais, para o gasoduto Coari-Manaus e para um outro grande feito, que foi a obra da ponte sobre o Rio Negro”.

Reforma Política

Um total de 66 parlamentares compõem a próxima legislatura, pelo PMDB. Durante a reunião, que contou com 70% da bancada peemedebista, Rotta elogiou o líder do PMDB, Eduardo Cunha, que conduziu o encontro e destacou  que, embora haja divergências, o PMDB é um partido democrático. O líder do PMDB na Aleam também falou sobre a importância da Reforma Política no Brasil.

“Temos um excesso de partidos disputando eleições e isso faz com que haja uma certa anomalia. É preciso uma discussão ampla sobre reforma partidária, rever o número de partidos, coeficientes eleitorais e coligações. A Reforma Política é um assunto que o congresso a muito tempo discute, mas não consegue avançar, é algo que precisa ser entendido pelos nossos parlamentares como extremamente necessário e urgente. Eu torço para que o poder executivo possa discutir e, mais do que nunca,  avançar e implementar o desejo da presidente Dilma, que é trazer essa reforma democrática ao país”, disse Rotta,  enfatizando a defesa de mudanças no processo eleitoral.

“O Coeficiente eleitoral provoca muita confusão na cabeça do eleitor, que não consegue entender o motivo de o seu candidato, que teve 25 mil votos não se eleger e o candidato com 9 mil votos ser eleito. Eu defendo que o princípio da democracia seja também restabelecido nesta reforma política. Se são 513 vagas na Câmara dos Deputados, então que os mais votados possam ter representação na Câmara. Se na Aleam são 24 vagas, então que os 24 mais votados sejam representados dentro do poder legislativo. Enfim, eu espero que, pela primeira vez, com a declaração pública da chefe do nosso país, possamos ter na Câmara, no Senado e nas cidades brasileiras uma ampla discussão sobre o que quer o povo brasileiro a respeito da reforma política, e eu não tenho dúvida de que o povo quer mudança”finalizou.