Em Eirunepé, famílias moram em meio ao lixão e o prefeito constrói uma mansão

 

Nesse caso, as imagens são um retrato fiel do abandono e da falta de respeito impostos pelo prefeito Raylan Barroso, do PROS de José Melo, à população de Eirunepé, cidade em que nasceu o governador Amazonino Mendes e muitos outros políticos do Amazonas.

Mesmo com uma recomendação do Ministério Público do Estado (MPE-AM) para que o prefeito Raylan Barroso retirasse o lixão de um terreno que fica próximo a entrada da cidade de Eirunepé e no entorno de uma área residencial, nada foi feito. Toneladas de lixo continuam sendo jogadas no local onde moram várias famílias.

E não para por aí, meu povo! Pasmem! No mesmo local fica o abatedouro do município de onde sai a carne consumida pelos cidadãos do município. E o contraste entre o povo que fica no lixo, é que numa área próxima fica o luxo da mansão que está sendo construída pelo prefeito.

Quem trouxe essa triste realidade ao conhecimento público, em discurso feito da tribuna da Assembleia legislativa do Estado (Aleam), foi a deputada Alessandra Campelo.

Triste sina essa de Eirunepé, cidade para a qual não adiantou ter os dois últimos governadores eleitos, Melo e Amazonino, propagandeando serem filhos de lá. E que sai prefeitos (Dissica e Bara) e entra prefeito (Raylan Barroso) e o sofrimento do povo continua o mesmo.