Em jogo de pouca inspiração, Fluminense e Palmeiras só empatam

Luiz Adriano abriu o placar para os visitantes, mas Evanilson deixou tudo igual; partida foi tecnicamente fraca e sem grandes oportunidades

imagens: Cesar Greco

A estreia do Palmeiras no Campeonato Brasileiro após o título paulista foi em ritmo lento. Nesta quarta-feira, no Maracanã, a equipe de Vanderlei Luxemburgo ficou apenas no empate por 1 a 1 com o Fluminense, que segue sem vencer na competição. Luiz Adriano, um dos destaques em campo, abriu o placar para os paulistas, mas Evanilson deixou tudo igual para os cariocas.

Com esse resultado, o Flu conquista o primeiro ponto no Brasileirão e sobe para a 13ª posição. Na próxima rodada, a equipe de Odair Hellmann recebe o Internacional. Com apenas este ponto e uma partida, o Alviverde fica em 11º e terá o Goiás, em casa, no sábado.

POSSE TRICOLOR, GOL ALVIVERDE

Com uma nova formação após a derrota na estreia, o Fluminense foi à campo no Maracanã com a ideia de propor o jogo contra o Palmeiras. Apesar de ter 70% de posse em vários momentos, o Tricolor novamente mostrou problemas na criação e, desorganizado, foi pouco perigoso. Melhor para os paulistas, que dificultaram a já deficiente saída de bola do time carioca e, em um desarme de Vitor Hugo em Fred, Luiz Adriano abriu o placar.

imagens: Cesar Greco

LESÃO E GOL DO FLU

Com um jogo mais reativo do Palmeiras, sem aproximação e apostando na marcação, mesmo depois de sair na frente, o Flu continuou sem inspiração. O cenário mudou após a saída de Fred. Aos 32, o ídolo do Tricolor sentiu a coxa e precisou ser substituído. Seis minutos depois, Marcos Paulo, substituto do camisa 9, deu o passe para Evanilson bater Viña no alto, dominar no peito e chutar forte. Luan ainda matou Jailson no lance quando desviou a bola.

LENTIDÃO

O segundo tempo foi ainda mais lento do que o primeiro e tecnicamente fraco. Mesmo com as substituições, os goleiros pouco precisaram trabalhar. As únicas duas oportunidades criadas foram com Marcos Paulo, chutando por cima, pelo Flu, e Luiz Adriano, com finalização para fora, para os visitantes. O Palmeiras tocou a bola, mas foi pouco para cima. O Fluminense conseguiu com o problema na criação.

MUITAS FALTAS

O que se manteve mesmo na segunda etapa foi o alto número de faltas dos dois lados. Foram 49 no total e seis cartões amarelos, sendo três para cada lado. Mesmo sem lances de brigas ou confusões grandes, as duas equipes pararam muito a partida.