Em Manicoré, mulher é espancada até a morte pelo companheiro

Caixão 1

O caixão não pôde sequer ficar aberto pra que a família de Eliane Maia Pereira pudesse se despedir dela, tal é o estado em que ficou o corpo após o assassinato. Ela foi espancada até a morte pelo companheiro Carlos Cristovão Rodrigues com quem vivia no município de Manicoré. O velório, que aconteceu na noite desta segunda-feira (19) e o sepultamento que será nesta terça-feira (20) estão sendo realizado no município de Tapauá, onde Eliane nasceu e onde mora sua família. “A gente sabia que ela era maltratada. Tentamos tirar ela de lá, mas não conseguimos”, contou ao Radar, em conversa pelo telefone, o irmão de Eliane, Asimar Maia do Nascimento dando a entender que Eliane não conseguia deixar o companheiro apesar de ser vítima de violência doméstica.

Isso é confirmado após o Radar entrar em contato com o delegado de Manicoré, Mateus Imperatriz Moreira, que diz ter vários registros na delegacia de Manicoré contra o companheiro de Eliane, Carlos Cristovão, por violência doméstica. O laudo médico sobre a morte de Eliane, lido pelo delegado para o Radar, mostra um quadro monstruoso de violência contra essa mulher. Os registros médicos sobre as causas da morte são: desidratação, falta de sangue no corpo, e politraumatismo (múltiplas lesões pelo corpo causadas por força externa).

Confirmando o que disse o comandante do 1º Pelotão da Polícia Militar de Manicoré, sargento Faustino, nesta segunda-feira a noite ao Radar, o delegado de Manicoré conta que Carlos Cristovão foi preso em flagrante por homicídio e está na penitenciária da cidade à disposição da Justiça. Infelizmente, Eliane não conseguiu fugir a tempo das mãos do homem com quem vivia, um sádico monstruoso e covarde, e acabou voltando pra casa morta. (Any Margareth)