Atletas indígenas do Amazonas são destaque em competição nacional de canoagem em Minas Gerais

Os bons resultados obtidos na competição em Minas Gerais são importantes a longo prazo, já que são utilizados como uma avaliação para convocações posteriores e campeonatos nacionais, e até internacionais

indígenas atletas

Foto: Lucas Sarraff

Os indígenas Thais Pontes Yacitua, de 16 anos, Antônio Weu, de 14, e Tailo Xiriri, de 17 anos, ambos do povo Kambeba, foram premiados na Copa Brasil e Controle Nacional de Canoagem Velocidade, disputada no município de Capitólio, em Minas Gerais, entre 28 de abril e 1° de maio deste ano.

Thais garantiu sua primeira medalha de ouro em uma competição nacional. Na categoria “500m Feminino Cadete” fez o tempo de 2m38s07, garantindo a posição mais alta do pódio.

Enquanto isso, Tailo disputou a categoria “1000m Masculino Júnior”. Na prova de classificação para disputa da categoria, ele ficou com a primeira posição. Na prova final, por pouco o pódio não veio. O jovem ficou em quarto lugar, com o tempo de 4m25s20, apenas 11 segundos abaixo do terceiro colocado.

Antônio participou da prova “1000m Masculino Menor” e conquistou o terceiro lugar com o tempo de 5m41s42. Garantiu a medalha de bronze em sua primeira competição nacional.

Os bons resultados obtidos na competição em Minas Gerais são importantes a longo prazo, já que são utilizados como uma avaliação para convocações posteriores e campeonatos nacionais, e até internacionais.

Incentivo à Canoagem Indígena

Implementado desde 2019, o projeto Canoagem Indígena, idealizado pela FAS em parceria com a Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), tem o objetivo de valorizar os jovens por meio do esporte. A iniciativa já beneficiou mais de 60 atletas indígenas e ribeirinhos das comunidades Três Unidos, Nova Kuanã São Sebastião, localizadas na Área de Proteção Ambiental (APA) do Rio Negro, administrada pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Amazonas (Sema).

(*) Com informações da Assessoria