Em Novo Aripuanã, homens são presos por latrocínio e ocultação de cadáver

Em Novo Aripuanã, homens são presos por latrocínio e ocultação de cadáver 2

Em Novo Aripuanã, homens são presos por latrocínio e ocultação de cadáver 1Policiais civis que atuam na 73ªDelegacia Interativa de Polícia (DIP), em Novo Aripuanã, município distante 227 quilômetros em linha reta de Manaus, prenderam na manhã desta terça-feira, dia 17, Álvaro da Silva Costa Filho, 20, Ornam dos Santos da Costa, 21, conhecido como “Ramon”, e Rodrigo de Souza Laurentino, o “Mc Iuri”. Os três estavam sendo investigados pelos crimes de latrocínio e ocultação de cadáver, ocorridos na madrugada do dia 18 de outubro deste ano, naquele município.

De acordo com o delegado Alon Michaleski, titular da 73º DIP, o crime ocorreu no momento que a vítima Raimundo da Costa Ramos, estava em um bar, localizado no bairro Palmeiras, consumindo bebidas alcoólicas, na companhia dos autores. Os infratores perceberam que Raimundo estava com certa quantidade de dinheiro e planejaram roubá-lo.

“Depois que a vítima e os infratores saíram do estabelecimento comercial, o trio seguiu Raimundo, e no momento que ele passava em frente a um galpão abandonado, situado na estrada da cidade, os suspeitos o forçaram a entrar no local, e cometeram o latrocínio, explicou o delegado”.

Segundo a autoridade policial, os três agrediram o jovem com várias pauladas e chutes. Um dos infratores ainda desferiu uma facada na região abdominal da vitima, que foi a óbito no local.  Conforme o delegado, depois de cometerem as agressões, os suspeitos roubaram R$300,00 que pertencia à vítima, e repartiram o dinheiro entre eles.

“Ao perceberem que Raimundo estava sem vida, Alváro Ornam e Rodrigo, amarraram os pés e as mãos dele, e o transportaram para uma serraria próximo do local do crime. Chegando ao lugar eles enterraram o corpo, na intenção de não serem descobertos pela polícia. Raimundo tinha 24 anos quando o caso aconteceu”, relatou  Michaleski.

Sobre as prisões

De acordo com o delegado, as investigações foram iniciadas após o recebimento de denúncias anônimas, informando que os três teriam envolvimento no latrocínio. “O caso chocou os moradores de Novo Aripuanã, pela forma como o jovem foi morto. Depois que tivemos acesso às informações importantes para o processo de investigação, demos andamento nas diligências. Existiam vários indícios de que o trio teria praticado o delito”, enfatizou o delegado Alon.

Os três infratores foram notificados para prestar esclarecimentos na unidade policial, mas negaram qualquer envolvimento no caso. Segundo o delegado, os depoimentos estavam desencontrados o que ocasionou a segunda etapa do processo de investigação. “Para constatar a veracidade dos fatos, eles foram trazidos novamente à sede da delegacia, onde participaram de uma acareação. Durante os questionamentos, os três confessaram com riqueza de detalhes, a autoria do crime. Em seguida, representamos os mandados de prisões contra eles”, disse a autoridade.

Na manhã desta segunda feira, Álvaro, Ornam e Rodrigo permaneceram presos na sede da 73ª DIP, em virtude dos mandados de prisões expedidos pelo Juiz de Direito da Comarca de Novo Aripuanã, Carlos Henrique Jardim. Ao término dos procedimentos cartorários, eles continuaram detidos na carceragem da 73ª DIP. O trio irá responder pelos crimes de latrocínio e ocultação de cadáver, ficando à disposição da justiça.