Em novo depoimento, advogado muda versão e agora acusa ex-namorada de ter se ‘auto-mutilado’

Foto: Patrick Marques

O advogado Marcelo Oliveira Gonçalves, acusado pela tentativa de feminicídio de sua ex-namorado, uma jovem de 22 anos, se apresentou na tarde dessa quarta-feira (24) à Delegacia Especializada em Crimes Contra a Mulher(DECCM), porém, apenas deu seu depoimento de cerca de 2h e foi liberado. Marcelo mudou sua primeira versão onde justificou as agressões como ‘legítima defesa’ e agora acusa a ex-namorada de ter se auto-mutilado. O advogado está respondendo pelo crime em liberdade até a conclusão das investigações.

“São falsas as denúncias envolvendo meu nome. Aquelas marcas, algumas ela mesma fez, se automutilou. Tá tudo nos autos, já juntamos as provas suficientes. Todo esse circo montado vai cair por terra, porque o bem sempre vence o mal”, disse.

De acordo com a delegada Débora Mafra, titular da especializada, Marcelo responderá pelos crimes de tentativa de feminicídio, furto e agressão. Segundo a delegada, ele já tem vários registros de agressão contra mulheres e que as investigações devem continuar.

“Durante o depoimento, ele respondeu a todas as perguntas, no entanto, ele negou as acusações, como todo agressor faz. Ele já é reincidente, e na ficha dele, constam três boletins de ocorrência por agressões contra a mulher”, disse a delegada.

Entenda o caso

A delegada Débora Mafra explicou que a jovem procurou a unidade policial após sofrer um atentado no domingo (21). “Ela disse que uma pessoa, a mando do ex, falou que ela tinha que ir até um local para se encontrar com ele. E caso desviasse do trajeto, aconteceria algo pior com ela. Com medo ela foi no local, e um outro carro a seguiu até o endereço. O advogado entrou no carro e começou a sessão de pancadaria até ela desmaiar”, disse a delegada.

A vítima contou que acordou no local já sozinha, sem seguida recebeu ajuda de uma vizinha do advogado, que chamou uma ambulância e foi encaminhada para o Hospital e Pronto-Socorro João Lúcio, na Zona Leste.

Marcelo foi notificado pela polícia e compareceu na segunda-feira (22) na delegacia. O advogado justificou as agressões como “legítima defesa”, e não mencionou que ela teria se “auto-mutilado” como disse  em sua última versão nessa quarta-feira (24).