Em reunião na ALE, sindicalistas solicitam a dispensa de temporários do Tribunal de Justiça

chico-preto-gestao-publica

Em uma reunião realizada na Assembleia Legislativa do Estado (ALE), com o líder da Maioria, deputado estadual Marco Antônio Chico Preto (PMN), representantes do Sindicato dos Servidores Públicos do Amazonas, Tribunal de Contas do Estado (TCE/AM) e a Comissão dos Aprovados do Concurso Público do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) para tratar da convocação dos aprovados do último concurso, sindicalistas questionaram o grande número de cargos temporários e os investimentos nesse tipo de contratação em detrimento da nomeação de efetivos.

O deputado lamentou a ausência de um representante do TJAM e destacou que o anúncio feito pelo órgão – de que a convocação será feita até maio de 2014 – não o exime da responsabilidade de participar da reunião. “O anúncio de nomeação já foi feito, mas o Sindicato dos Servidores afirmou existir um número significativo de funcionários temporário s dentro do tribunal, o que pode gerar um conflito por conta da expectativa de nomeação dos aprovados no último concurso. Por isso a Assembleia, enquanto representante do povo, busca esclarecer esta informação junto ao TJ para que esta situação não se transforme em um conflito ”, explicou, anunciando uma nova reunião sobre o assunto, desta vez com a representatividade do TJAM.

A coordenadora do Sindicato dos Servidores, Eladis Delzuita de Paula, parabenizou o deputado pela iniciativa e se disse esperançosa quanto à elaboração de uma carta de intenção por parte do Tribunal de Justiça. “Atualmente o tribunal está investindo em funcionários temporários quando deveria investir em servidores efetivos. O concurso moraliza e avalia o servidor, melhorando o serviço do TJ, pois quem trabalha em caráter temporário não tem vínculo ou comprometimento algum com a instituição, ao contrário dos servidores efetivos”, afirmou.

Já o representante da Comissão de Aprovados, Platiny Soares, declarou que a dispensa dos temporários representa mais convocações. “A nossa esperança, enquanto aprovados, é de que com a dispensa destes temporários, mais aprovados sejam chamados para compor o quadro do TJ, o que seria o mais correto a se fazer, por conta da demanda do Tribunal”, declarou.