Em tom arrogante, Omar exige demonstração de fidelidade e irrita candidatos de sua coligação

As notícias que chegam ao Radar sobre o clima de campanha lá pelas bandas do governador José Melo e de seu principal apoiador, o ex-governador e candidato ao Senado, Omar Aziz, são de total insatisfação da maioria dos candidatos a deputado estadual da coligação. Um deles confidenciou ao Radar que os candidatos da coligação foram chamados para uma reunião  com o ex-governador Omar Aziz, de onde muitos deles teriam saído extremamente irritados, porque antes mesmo de poderem dizer uma palavra sequer, foram logo avisados que terão que passar por uma espécie de teste de fidelidade antes de receberem qualquer ajuda para suas campanhas. Contou o candidato: “Omar disse que quer ver primeiro quem vai botar a cara em defesa do seu nome e de José Melo. Que primeiro temos que colocar a campanha na rua e fazer uma demonstração pública de que estamos com ele na eleição para o Senado, pra depois nos ajudar”. Segundo o candidato, isso teria sido dito naquele velho tom de arrogância que ele (Omar) tinha quando ainda não era governador, nem tinha tomado a decisão de fazer o estilo “paz e amor”. “Quem ele pensa que é para nos testar? Tá nos chamando de traíra? Ou acha que a gente é leso pra mandar fazer material de campanha, com a propaganda dele, com o pouco recurso que temos?” questiona o candidato, acrescentado: “Eu não sei onde ele aprendeu a fazer política desse jeito, mas agir como se estivesse fazendo um favor para os proporcionais de estar na mesma coligação que eles é puro suicídio político”, comentou o candidato. E essas informações me fizeram lembrar um colega jornalista que diante de comportamentos de arrogância, costumava dizer em alto e bom som: Acorda Alice!

 Abraço de urso

E contam os antenados amigos do Radar que outra situação pra lá de tensa nas hostes do governador José Melo é a campanha para o cargo de deputado federal. Com Marcos Rotta, Hissa Abrahão e Alfredo Nascimento, cada vez melhores nas pesquisas de intenção de voto, e o filho do prefeito Artur Neto, o também candidato a federal Artur Bisneto, contando com uma estrutura imensa de campanha proporcionada pelo papai-prefeito, dois (se não ocorrer mais alguma surpresa) dos oito deputados federais que já têm assento na Câmara dos Federal, deve dizer adeus ao mandato. E contam os bem informados que o pior nervosismo está com a turma que ficou toda junta e misturada no “chapão” feito por Melo onde estão nomes como os de Átila Lins, Pauderney Avelino, Silas Câmara e Carlos Souza, para brigar pelas vagas com Alfredo Nascimento e Artur Bisneto – os especialistas dizem que a coligação de Melo faz apenas quatro deputados federais.  Pelo jeito, o professor José Melo, no afã de pensar em si, deu uma de amigo urso com seus aliados, né mesmo? Deu o famoso abraço de urso que quebra o cara todinho!