Em visita ao TCE, Davi Almeida rebate acusação de Amazonino de “caos financeiro” no Estado

O governador interino David Almeida (PSD) chegou cedo ao Tribunal de Contas do Estado (TCE), na manhã desta terça-feira (29), para rebater informações de que a administração estadual está em “caos financeiro”, divulgadas pelo governador eleito Amazonino Mendes (PDT). Na entrada do prédio, David concedeu entrevista coletiva à imprensa e afirmou que, a partir de hoje vai abrir todas as informações sobre sua gestão de três meses no governo do Amazonas não apenas para o Tribunal de Contas do Estado, mas também para toda a população.

“Nós viemos aqui (no TCE) prestar as informações necessárias pertinentes às finanças do Estado”, disse o governador lembrando ainda que, pelo artigo 54 da Constituição Estadual, que disciplina a transição de um governo para o outro, o governador tem a liberdade de criar – ou não – uma comissão de transição em até 48 após o resultado final da eleição.

“O resultado final só existe após a prestação de contas e a diplomação, que ainda não aconteceram”, apontou David Almeida, “mas eu já me antecipei e hoje mesmo (terça-feira, 29) assinei o decreto que coloca sete membros do governo para fazer parte da transição e colocar à disposição do novo governador todas as informações solicitadas”, disse ele, dando um alfinetadinha com classe na equipe que já está espalhando boatos sobre caos financeiro, mas ainda nem acessou as contas do governo. “Aliás, vou colocar também à disposição de toda a população para que não paire nenhuma dúvida”, completou David Almeida.

O governador disse à imprensa que vai mostrar ao TCE “justamente o contrário do que estão falando”. E elencou algumas das prestações de contas que foi fazer: Em 9 de maio peguei o estado com 81% do Orçamento já estourado, com R$ 634 milhões em débitos. Hoje temos R$ 102 ou R$ 103 milhões de débito; peguei o Estado chegando no limite máximo da Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF) e estou entregando abaixo do limite prudencial da LRF, depois de 27 meses em que o Estado passou acima desse limite; a arrecadação, só do ICMS, cresceu 19,77% em 3 meses.

E por que aumentou a arrecadação? Porque fizemos circular o dinheiro que estava em caixa, pagando obras, gerando emprego e renda; hoje temos em caixa R$ 411 milhões que só podem ser gastos nas obras que foram contratada para esse dinheiro. Essas obras já estavam todas contratadas. Nós só fizemos destravar para que elas pudessem andar; na educação temos R$ 331 milhões em caixa. “Eu afirmo: vou entregar o Estado melhor do que recebi”, disse ele.

Décimo terceiro

Sobre o pagamento do 13º salário, que está sendo questionado por Amazonino Mendes, David Almeida anunciou que já no próximo dia 14 vai pagar 30% a mais do décimo e que o futuro governador não precisa se preocupar. “Guardamos R$ 105 milhões para pagamento da última parcela do 13º. Se a preocupação dele é com o décimo, já não haverá mais problemas”, afirmou David.

Para o deputado, que vai voltar para a presidência da Assembleia Legislativa assim que Amazonino tomar posse, o motivo dos ataques do futuro governador é a falta de informação e de comunicação. “Tentei falar com ele (Amazonino) mas não consegui. Então, se ele veio ao tribunal eu também vim para mostrar exatamente onde foram alocados os recursos”, adiantou. “Quero dizer que na equipe de transição temos três técnicos do TCE que já estão no governo, justamente para isso. Para que não pairasse dúvida sobre a nossa administração”.

David aproveitou a presença da imprensa para passar recado: “estou à disposição do próximo governador, a equipe de transição dele vai ter todo o acesso e, se precisar deste deputado para sua governabilidade, para ajudar o Estado do Amazonas que conte comigo, porque quando os políticos brigam, quem sofre é o povo. Nós não queremos o sofrimento do povo”.

FOTOS: BRUNO ZANARDO/SECOM e DHYEIZO LEMOS/SECOM