Emenda ao orçamento: Wilker vai destinar R$ 100 mil para FCecon

Foto: Alfran Leão

Para garantir ações de prevenção e tratamento do câncer do colo uterino, o deputado estadual Wilker Barreto (Podemos) irá destinar uma emenda impositiva de R$ 100 mil para a Fundação Centro de Controle de Oncologia do Amazonas (FCecon). A ideia do parlamentar visa ajudar na redução do número de casos da doença do Amazonas, que é campeão brasileiro em incidência de câncer de colo uterino e que mata 23 mulheres todos os meses no Estado.

“Esse é um gesto de sensibilidade para um tema tão importante. A Fundação Cecon é uma belíssima instituição, com profissionais qualificados, mas que não recebe investimento diante de um assunto tão sério como é o câncer do colo uterino. Então, a ideia é equipar e aparelhar melhor o Cecon para continuar a vida das nossas mulheres”, explicou Wilker.

A ajuda do Líder da Minoria da Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) visa trazer investimentos para a estrutura do Fcecon e para compras de aparelhos fundamentais para os procedimentos cirúrgicos da doença. A emenda parlamentar ainda será votada pelos deputados da Casa este ano para começar a valer em 2019.

Para a ginecologista do Fcecon, Mônica Bandeira de Mello, é inadmissível o Amazonas ter números negativos em casos da doença e afirmou que a cirurgia de prevenção, chamada canonização, é um procedimento considerado de baixa complexidade e que dura pouco tempo.

“Em pleno século XIX, é inadmissível o Amazonas ser campeão brasileiro em casos de câncer de colo uterino, um tipo de tumor 100% evitável e único que tem uma causa conhecida. Não podemos mais deixar as nossas mulheres irem à óbito, é preciso termos sensibilidade para ajudar a nossa causa”, ressaltou a ginecologista.

Referência hospitalar

A Fundação Centro de Controle de Oncologia do Estado do Amazonas (FCecon) é considerado hospital de referência no diagnóstico e tratamento do câncer em toda a Amazônia Ocidental. Em seus 45 anos de história, a instituição se destaca pelo renomado corpo clinico em diversas especialidades e também pelas ações de prevenção, de ensino e pesquisa de enfermidades.

A FCecon gasta, em média, R$ 20 milhões por ano em cirurgias, quimioterapias e radioterapias – cerca de 40% dos casos que necessitam deste procedimento referem-se ao câncer de colo de útero.

Com informações da assessoria do deputado.