Emoção e homenagens marcam a volta da Tarde Alegre Infantil ao Curral Zeca Xibelão, em Parintins

O retorno da Tarde Alegre Infantil teve sorteio de brindes, distribuição de guloseimas, parquinho e muita toada

tarde alegre infantil caprichoso

Foto: Pedro Coelho

Um Dia das Mães especial para a garotada azulada, que voltou a animar o curral Zeca Xibelão, em Parintins (a 369 quilômetros de Manaus), com o retorno da Tarde Alegre Infantil nesse domingo (8). Brincadeiras, músicas, presentes e muita diversão fez parte da programação azul coordenada pelo Centro de Documentação e Memória Caprichoso, o CEDEM.

A diretoria do Boi Caprichoso instalou um parquinho infantil, fez sorteio de brindes, distribuiu guloseimas, tocou toadas e fez a diversão de mães e filhos que encheram o curral de sorrisos. Tudo isso, ao comando do idealizador e apresentador oficial da Tarde Alegre Infantil, Walter Lobato, que se mostrou feliz com o retorno da festa.

Para o conselheiro de arte e coordenador do CEDEM, Diego Omar, a Tarde Alegre tem uma importância social muito grande, pois democratiza o acesso ao curral e cria um espaço voltado para as novas gerações de apaixonados pelo Caprichoso.

“Essa é uma tradição do Caprichoso, de cuidar, de reservar um lugar para as crianças na sua programação, pra fazer essa relação entre os mais velhos e as crianças. Mais do que nunca a gente tem que cuidar para que os mais jovens se interessem por esse elemento fundamental da cultura, da identidade parantinense que é o boi-bumbá”, explica Diego Omar.

A Tarde Alegre Infantil tem uma importância cultural, social e artística muito forte para o Boi Caprichoso e Parintins, uma vez que possibilitou mostrar diretamente à meninada a cultura do Boi-Bumbá.

“É uma alegria muito grande esse retorno. Hoje a gente, após a pandemia, volta com força total e vê as crianças aqui presentes, com todo esse evento só pra elas. É uma felicidade ver a criançada feliz, brincando o boi”, diz o conselheiro de arte, Erick Nakanome.

Gabriela Beltrão, 26, tem uma história longa e de boas memórias com a festa. Em 2010 foi eleita cunhã poranga da Tarde Alegre. Agora ela traz o filho Bernardo Beltrão, 07 anos, para brincar como brincou na infância.

“Eu fico muito feliz por ele. Nós estamos passando pra ele o nosso amor pelo Caprichoso e ele gosta. Fico muito feliz por ele ser Caprichoso. Isso é tradição de família. Nós todos somos Caprichosos e isso passa de geração pra geração e graças a Deus ele é Caprichoso”, destaca ela que também é irmã do pajé do Caprichoso, Erick Beltrão.

Já o pequeno Antony Romano, 11 anos, chamou a atenção do público, brincando de tripa do boizinho que estava no palco azulado. Incansável, ficou até o fim da festa e só parava quando a atenciosa mãe, Claudia Romano, 35 anos o chamava para lhe dar água. Ela também participava da Tarde Alegre e foi dançarina do Boi. Conta que Antony “já nasceu assim, com esse amor pelo Caprichoso”. Segundo a mãe, “o Antony desde muito pequeno, um aninho, já começou a demonstrar que gostava das toadas do Caprichoso. Gostava muito de azul e desde daí ele vem alimentando esse amor”, revela.

(*) Com informações da Assessoria