Empregado de fazenda em Humaitá confessa que matou fazendeiro para roubar

latrocida 1

Policiais Civis lotados na Delegacia Interativa de Polícia (DIP) do município de Humaitá, distante 590 quilômetros em linha reta de Manaus, prenderam quinta-feira (18), Aleilson Souza Cardoso, 33, por latrocínio. O homem é apontado como um dos autores da morte do fazendeiro Geraldo Marques dos Santos, 67, ocorrido na última terça-feira (16), na comunidade Realidade, naquele município.

latrocida 2De acordo com o Delegado Marcus Rezende, Adjunto da delegacia de Humaitá, Aleilson trabalhava com a vítima há mais de 10 anos, e na quinta-feira ele foi comunicar o desaparecimento do patrão dele. O Delegado informou que durante a declaração do homem, ele se contradisse na história contada sobre o sumiço do patrão. Diante da incoerência nas informações repassadas por Aleilson, ele foi detido durante as diligências realizadas em conjunto com a Polícia Militar.

Na fazenda de Geraldo, os policiais encontraram algumas roupas, possivelmente da vítima, sujas de sangue. Logo após as averiguações, Aleilson confessou o crime e indicou o local onde ele, e um comparsa, que não teve o nome divulgado e que já está sendo procurado pela polícia, esconderam o corpo. O cadáver do fazendeiro foi encontrado em uma cova na própria fazenda dele.

Marcus Rezende ressaltou a motivação do delito. “A vítima havia vendido uns gados no dia anterior ao crime, e estava com dinheiro na casa, Aleilson e o cúmplice, roubaram o dinheiro e dois rifles de Geraldo, assassinaram ele com requinte de crueldade, e ocultaram o cadáver. A Policia Civil em menos de 24h, após tomar conhecimento do fato, elucidou o caso e descobriu os autores do latrocínio do fazendeiro”, frisou o Delegado.

latrocida 3A Polícia Civil de Rondônia, por meio do termo de cooperação com a Polícia Civil do Amazonas, enviou um rabecão do Instituto Médico Legal (IML) e peritos ao local do crime.

Após Aleilson confessar o crime, a autoridade policial representou junto à Justiça local, o mandado de prisão preventiva, que foi decretado de imediato pelo juiz Jeferson Galvão de Melo, da comarca de Humaitá. O homem segue preso na sede da delegacia aguardando julgamento.