Empresa de água mineral é autuada por comercializar produto abaixo do peso

O Instituto de Pesos e Medidas do Amazonas (Ipem-AM) realizou, no início deste mês, uma operação que analisou cerca de 91 amostras de garrafões de água mineral de 20 litros. Após verificar a quantidade de água dos garrafões comercializados no estado, reprovou seis amostras de uma marca que estava fora do permitido pela legislação do Instituto Nacional de Metrologia, Qualidade e Tecnologia (Inmetro).

Sete marcas passaram por ensaios e apenas uma foi reprovada por não atender à legislação do Inmetro e estar contra o consumidor.

“Nós analisamos todas as marcas, sendo 13 amostras de garrafões de 20 litros de cada marca, e apenas uma amostra poderia dar abaixo do permitido pela legislação, que é 200 ml. O que não ocorreu com uma das marcas, que, durante os ensaios de pesagem, teve seis amostras reprovadas abaixo do permitido”, informou o titular do Ipem-AM, engenheiro Márcio André Brito.

A empresa foi autuada e tem um prazo de dez dias para apresentar defesa junto do Ipem. Em casos de irregularidades as empresas estão sujeitas às penalidades previstas na lei com multas que variam de R$ 1.800 a R$ 500 mil, dependendo do porte da empresa, do grau de reincidência e tipo de irregularidade.

Na ocasião, foram fiscalizadas as empresas, Minalar, Gelocrim, Yara, Santa Cláudia, Toya, Nossa Água e a Puríssima.

(*) Com informações do Ipem