Empresa denunciada por irregularidades na reforma do João Lúcio é contratada por Wilson Lima para reformar o Bumbódromo

A publicação do contrato de reforma é de apenas 15 dias antes do festival dos Bumbás

O Governo Wilson Lima (União Brasil) fechou um contrato no valor de R$ 5,4 milhões para reforma e manutenção do Bumbódromo, local que acontece a disputa entre os bois Caprichoso e Garantido no Festival Folclórico de Parintins, realizado nos dias 24, 25 e 26 de junho. A  extrato de contrato está assinada por Carlos Henrique dos Reis Lima, titular da Secretaria de Estado de Infraestrutura e Região Metropolitana de Manaus (Seinfra) e foi publicada no dia 09 de junho, ou seja, apenas 15 dias antes do festival, um prazo muito curto para uma reforma.

A empresa contratada para a reforma do Bumbódromo é a RR Construções e Transportes LTDA, uma velha conhecida de denúncias feitas ao Radar, só que no caso da reforma do Hospital João Lúcio. O governo de Wilson Lima fez um contrato de R$ 15,4 milhões para reforma do João Lúcio, com recursos do Banco Interamericano  de Desenvolvimento (BID). Só que problemas começaram a aparecer após a reforma, como, por exemplo, o forro do telhado do primeiro andar desabou. 

Por conta desses problemas na estrutura da unidade de saúde, mesmo após o gasto de mais de R$ 15 milhões na reforma, o Ministério Público do Amazonas (MPE-AM) chegou a anunciar a abertura de investigação, mas até hoje não houve qualquer resposta.  Em março desse ano, o refeitório do hospital alagou durante chuva forte.

A mesma empresa agora foi contratada por mais de cinco milhões para reforma do Bumbódromo de Parintins. Segundo a Secretaria de Infraestrutura do Estado do Amazonas (Seinfra), a reforma inclui pintura geral, revisão de todas as instalações elétricas, reforma do prédio anexo à arena, reforma dos camarotes da arena, construção da cabine dos jurados e do som.

De acordo com o Portal da Transparência do Estado, o recurso que será utilizado na reforma é do FTI (Fundo de Fomento ao Turismo, Infraestrutura, Serviços e Interiorização do Desenvolvimento do Estado do Amazonas), também usado para apagar os eventos de A Crítica, como o Peladão, o Campeonato de Dominó e, inclusive a transmissão dos Bumbás de Parintins e mídia contratada pelo governador – esse dinheiro em quase sua totalidade deveria ser revertido para o desenvolvimento do interior do Estado.

Ar-condicionado superfaturado

Em agosto de 2021, o deputado estadual Dermilson Chagas (Republicanos) moveu uma ação popular no Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) para denunciar um suposto superfaturamento feito na compra de ares-condicionados para o Hospital João Lúcio por R$ 1,9 milhões, quase o dobro do valor encontrado no mercado local.

Na época, a compra foi feita com dispensa de licitação por meio do Contrato n° 019/2020, firmado entre a Seinfra e a empresa RR Construções e Transportes LTDA. Apesar da denúncia, a secretaria disse que o contrato que viabilizou as obras na unidade hospitalar não tem nenhuma irregularidade.

Após consulta no site da Receita Federal, o Radar Amazônico constatou que a empresa é localizada na Rua dos Japoneses, bairro Parque Dez de Novembro, zona Centro-Sul de Manaus. Com capital social de R$ 5 milhões, a empresa é administrada por Ricardo Pereira Sousa e Marden Pantoja Souza.

Resposta

O Radar Amazônico entrou em contato com a Seinfra e o Governo do Amazonas solicitando a respeito dos critérios utilizados para a escolha da empresa. Até a publicação desta reportagem, não houve retorno.

Confira o despacho publicado no diário

Confira informações da empresa