Contratos da “velha política” são mantidos por Wilson Lima com aditivos milionários

Endereço da Triseven Serviços no Google Maps aponta para uma residência na Compensa (Foto: Radar Amazônico)

A mesma empresa, a Triseven Serviços e Qualidade de Vida, que na época do então governador Amazonino Mendes (Sem Partido), denominado pejorativamente de “velha política” pelo governador Wilson Lima (PSC), tinha dez contratos, no valor de mais de R$ 11 milhões, não só manteve grande parte desses contratos no “governo do novo”, como já recebeu R$ 7, 3 milhões somente nos primeiros meses do ano (veja pagamentos no final da matéria). A Triseven também acaba de ganhar um aditivo de R$ 6,7 milhões num contrato que já existia desde a época de Amazonino para “fornecimento de alimentação especial” para pacientes de unidades de saúde do Estado, um tipo de serviço que não está na relação de suas atividades empresariais, sendo a atividade mais próxima o fornecimento de alimentação para empresas – será que um paciente pode comer o mesmo que um trabalhador comum, gente? Apesar de faturas milionárias pagas pelo Governo do Estado, a empresa funciona em uma casa comum que sequer tem uma placa de identificação (imagem de destaque).

Como o Radar mostrou em matéria anterior, a Triseven é um “fenômeno” na venda de produtos e serviços ao Estado. É uma empresa que consegue fazer manutenção predial, fornecer alimentação para pacientes internados em unidades de saúde, além de terceirizar serviços de motorista, motoboy, garçom e até construir rodovias e ferrovias.

Relação de atividades que a Triseven Serviços diz executar no cartão do CNPJ

Tanto que, entre 2017 e 2018, a Triseven Serviços que fornece de tudo para o Governo (veja abaixo a lista de atividades), conseguiu firmar três contratos de manutenção predial na Secretaria de Justiça, Direitos Humanos e Cidadania (Sejusc), SPA Hospital e Maternidade Chapot Prevost (HICP) e Secretaria de Estado de Saúde (Susam), que totalizaram R$ 1,7 milhão; fechou outro contrato no Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam) para prestação de serviços de motorista no valor de R$ 246 mil e outro contrato no Fundo Previdenciário do Amazonas (Amazonprev) para serviços terceirizados de garçom, motoboy com motocicleta e auxiliar administrativo, no valor de R$ 235 mil.

Além desses contratos a Triseven Serviços firmou outros cinco contratos no total de R$ 9,5 milhões com o Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto e os Serviço de Pronto Atendimento do Alvorada e da zona Sul, para fornecer quentinha com alimentação especial para pacientes de unidades de saúde. Juntos, os dez contratos custaram mais de R$ 11 milhões aos cofres públicos.

Aditivo 

Mesmo fazendo duras críticas durante campanha eleitoral contra os contratos feitos pelo ex-governador Amazonino Mendes, o “governo do novo” aditivou, ou seja prorrogou, seis desses contratos por mais 12 meses e vai pagar para a empresa mais R$ 9,4 milhões. Entre eles, um contrato no valor de R$ 6,7 milhões, para fornecer alimentação especial para os pacientes adultos, crianças, seus acompanhantes e para os funcionários do Hospital e Pronto Socorro 28 de Agosto, na zona Centro-Sul.

Levando em consideração os contratos firmados na gestão passada e os aditivos feitos por Wilson Lima, a empresa Triseven soma mais de R$ 20 milhões com o Governo do Amazonas. Os aditivos foram publicados no Diário Oficial do Estado entre agosto e setembro deste ano. (Veja documentos no final da matéria)

Sem fachada  

No site da Receita Federal, a Triseven Serviços de CNPJ 08420393000102, tem como proprietário Daniel Pinheiro Teixeira Guedes e sede no Conjunto Hileia 1, no bairro da Redenção, zona Oeste. Mas o Radar foi até o local nessa última segunda-feira (16) e deu de cara com uma casa fechada e com sinais de abandono, veja abaixo.

Endereço fiscal da empresa Triseven Serviços aponta para o nº 27 no conjunto Hiléia (Foto: Radar Amazônico)

Após consulta no Google Maps, o Radar foi direcionado para outro endereço no bairro da Compensa, onde encontrou uma casa ‘comum’ sem nenhuma placa de identificação de que lá funciona a empresa Triseven (foto destaque da matéria). No local, uma senhora atendeu a equipe do Radar por volta das 15h30 e informou que a empresa já estava fechada naquele horário e que o dono não retornaria mais.

Ou seja, o governo de Wilson Lima aditiva contratos com uma empresa sem observar sequer onde ela funciona, se tem capacidade técnica e operacional para prestar os serviços contratados.

O Radar bem que tentou saber com o Governo do Estado sobre essas questões, mas não obteve resposta até o fechamento desta matéria. O Radar está de portas abertas para ouvir os proprietários da Triseven Serviços.

Confira pagamentos na íntegra

Confira aditivo do HP 28 de Agosto

Confira aditivo do Amazonprev

Confira aditivo do HICP

Confira aditivo do SPA Alvorada

Confira aditivo do SPA Sul

Confira aditivo da Sejusc

Confira o CNPJ na íntegra