Anúncio Advertisement

Empresa que administra o hospital Delphina Aziz recebeu do governo R$ 67, 2 milhões em 2017

Levando-se em conta documento ao qual o Radar teve acesso (ver documento no final da matéria), o que não faltou foi dinheiro para o Instituto de Medicina Estudos e Desenvolvimento (Imed) administrar o Hospital (público) e Pronto Socorro Delphina Aziz. O Governo do Amazonas repassou R$ 67,2 milhões durante o ano passado para a empresa Imed (Instituto de Medicina, Estudos e Desenvolvimento.

Foram feitos dois aditivos no contrato da Imed com a secretaria estadual de Saude, com duração de seis meses cada um. No primeiro, a vigência foi de 28/12/2016 a 27/06/2017. Já a segunda prorrogação de contrato, consta do período de 28/06/2017 a 27/12/2017, com valor mensal atual acima dos R$ 5,6 milhões.

Mas, apesar de cifras tão altas, o Radar passou o final de semana recebendo denúncias até mesmo de funcionários do hospital de que “o atendimento médico-hospitalar no Delphina Aziz está uma caos”. Segundo eles, o corpo clínico daquela unidade de saúde foi reduzido. Foram dispensados clínicos gerais, enfermeiros e técnicos de enfermagem. E ainda mais grave, não há mais cirurgiões no hospital. As cirurgias eletivas estão suspensas e os casos de urgência e emergências, como vítimas de armas de fogo, arma branca e de acidentes nas rodovias estão sendo enviados para outras unidades hospitalares. “Por causa da distância a ser percorrida, a gravidade desses casos e a falta do processo cirúrgico, essas pessoas podem chegar mortas nos outros hospitais”, disse um dos funcionários.