Empresários faturam com aluguel de tablets e apostam na Copa de 2014

tabletsEmpresários de São Paulo descobriram um novo nicho no mercado de tecnologia, tendência de bom negócio para 2014. Eles têm uma empresa de aluguel de tablets e garantem: cada vez mais empresas preferem alugar a comprar esse tipo de equipamento.

O negócio foi montado em outubro de 2012 pelos irmãos Alexandre e Paulo Oliveira, que já tinham uma empresa de desenvolvimento de sites. Eles usaram a mesma estrutura para o novo negócio e investiram R$ 8 mil em cinco tablets.

“Para as empresas que fazem eventos é muito mais vantajoso fazer a locação dos equipamentos por uma semana, quinze dias, do que comprar, uma vez que a locação custa em torno de 1% ao dia do valor total do equipamento”, afirma o empresário Alexandre oliveira.

Ele conta que perceberam o potencial de mercado do negócio desde o começo. “Em vinte dias a gente nem tinha um site ainda, era só uma imagem na internet para ver o que ia acontecer. De repente começou a chover ligação e a gente negava locações, até que a gente viu que esse é um mercado legal mesmo”, afirma Alexandre.

Segundo o consultor Gustavo Souza, o segmento de tecnologia no Brasil movimenta US$ 129 bilhões e é a bola da vez. “O mercado de tecnologia é mais do que uma tendência. Há vários anos que ele cresce mais de dois dígitos de ano a ano e a gente entende que agora em 2014 ele tem uma tendência ainda maior”, afirma.

A empresa de Alexandre e Paulo tem uma política de preços agressiva. Eles cobram R$ 14,90 por dia de aluguel. Mas, se o cliente alugar por um mês, o preço cai para R$ 6,90 por dia. O frete é pago pelo cliente.

“A gente fez uma pesquisa e chegou nesse preço para pegar uma grande fatia no mercado e entrar para valer nele. E a gente inclusive percebeu que poucas empresas estavam locando tablet com o sistema operacional Android e é isso que a gente foca hoje”, diz Paulo Oliveira.

Estratégia

Os empresários têm uma estratégia de investimento própria. Eles montaram o negócio numa equação de sucesso: compram os tablets em dez prestações de R$ 130, mas o mesmo aparelho rende, em média, R$ 207 por mês de aluguel, bem mais do que a prestação.

Assim, eles fizeram um estoque de mais de R$ 300 mil em equipamentos, sem precisar por a mão no bolso. Em menos de sete meses de aluguel, o tablet está pago. A partir daí, o aparelho praticamente só dá lucro. Após um ano e meio de uso, ele é vendido.

“Sempre que uma nova geração de equipamentos é lançada, a gente procura fazer uma venda de uma parte do nosso estoque da geração antiga para nunca ficar defasado”, conta Alexandre.

Um dos segredos do sucesso dos empresários é vender facilidades. Eles entregam e buscam os tablets em todo o país. Os equipamentos têm seguro contra roubo e em caso de quebra a reposição é feita na hora.

“Hoje em dia o cliente quer tudo na mão. Então tem que ter uma entrega rápida e, caso quebre algum equipamento, a gente tem que estar de prontidão para trocar. Caso ele precise de aplicativos ou alguma coisa incluída no equipamento, a gente envia. Então é um pacote completo que ele tem que ter”, diz Paulo.

Os empresários garantem que se tivessem mais tablets, alugariam tudo. Em média, 80% dos equipamentos da empresa ficam sempre nos clientes. Em 2013, os irmãos faturaram R$ 600 mil. Hoje, eles têm 250 tablets e a ideia é comprar pelo menos mais 200 aparelhos neste ano.

“Na Copa das Confederações, no ano passado, nós zeramos nosso estoque e se tivéssemos mais 100 equipamentos com certeza nós teríamos alugado. Então, estamos apostando em dois mercados pra este ano. Um é o de pesquisas para as eleições, que é muito forte e que a gente tem muitos clientes grandes que demandam quantidade muito grande de equipamentos. E outro é a Copa do Mundo”, afirma Alexandre.

Andrea Mosiici e Gabriele Bartolucci alugam cerca de 20 tablets por mês. Eles fazem aplicativos para eventos de curta duração, como feiras e eleições. Para eles, o serviço da empresa é bom e barato.

“Nós encontramos nele um fornecedor especializado em tablets com sistema operativo Android. Isso era muito bom, porque o nosso desenvolvimento é feito nessa plataforma. Ele é muito rápido na entrega e os preços são competitivos. Então achamos uma grande gama de vantagens trabalhar com ele”, diz a cliente Andrea Mosiici.

Fonte: G1