Empresários não veem problema na transferência do aeroclube de Manaus para municípios próximos

Empresários do setor de taxi aéreo que atuam no aeroclube de Manaus disseram que são favoráveis à transferência do aeroclube para os municípios de Iranduba ou Manacapuru. A transferência deve acontecer até o final de 2018, quando termina o contrato de locação do terreno onde funciona o aeroclube, que pertence ao Governo Federal.

A decisão de transferir o aeroclube, bem como a escolha de uma área para receber o empreendimento, foi discutida na terça-feira (11) à tarde, durante reunião dos empresários de taxi aéreo e o presidente da comissão de Transporte da Aleam, deputado Wanderley Dallas, e o deputado Luiz Castro.

A reunião aconteceu no aeroclube e contou com a presença dos proprietários das empresas Rico Taxi Aéreo, CTA, Parintins, JVC, Cleiton e Amazonas Aero Taxi.

Os empresários disseram que pagam um aluguel caro pelo terreno do aeroclube e que existe o interesse em mudar para outro local. Foi sugerida a transferência para um terreno localizado próximo à obra da cidade universitária da UEA, na margem da rodovia AM-010, que liga Manaus a Iranduba.

“A ideia parecia boa, mas foi descartada porque a circulação de aviões causa muitos ruídos, que vão atrapalhar as aulas da universidade”, explicou o deputado Dallas.

Também foi sugerido que o aeroclube fosse transferido para o aeroporto Eduardinho, mas devido a grande movimentação de aeronaves, a ideia foi descartada.

Para resolver o impasse, os deputados Wanderley Dallas e Luiz Castro sugeriram um encontro com a secretaria estadual de Política Latifundiária. A intenção é solicitar um mapeamento das áreas na Região Metropolitana, pertencentes à Suframa e ao Governo do Estado, onde possa ser construído o aeroclube.

Os riscos do funcionamento do aeroclube na área urbana de Manaus, bem como sugestões para transferência do empreendimento, serão discutidos novamente na Assembleia Legislativa do Amazonas.

Uma audiência pública marcada para segunda-feira, dia 17, no auditório da Aleam, vai reunir representantes do Governo do Estado, 7º Comando Aéreo da Aeronáutica, Agência Nacional de Aviação (Anac), Implurb e moradores dos bairros próximos ao aeroclube. A intenção é discutir a transferência do aeroclube e estabelecer prazos para realização do projeto.

Fonte: Assessoria do deputado