Empresas são multadas em R$ 4,9 milhões por crime ambiental 

Seis empreendimentos do município de Canutama (a 615 quilômetros de Manaus) foram multados em R$ 4,9 milhões por crime ambiental. O flagra ocorreu, nessa segunda-feira (9), durante operação da força-tarefa estadual e federal de combate às queimadas e desmatamento ilegal no Amazonas.  

A ação fiscalizou as áreas com indícios de ocorrência de crime ambiental, ao longo de 320 quilômetros, e combateu um foco de incêndio identificado. Ao todo, 1.584 hectares foram embargados no município, que fica no sul do Estado, é o oitavo com mais focos de calor no Amazonas.

Na primeira propriedade visitada, foram embargados 256 hectares e emitida multa no valor de R$ 256.288,00 por provocar queimadas sem autorização do órgão ambiental competente. Foi aplicada também multa no valor de R$ 1.281.440,00 por provocar desmatamento de vegetação nativa.

Outro empreendimento teve 107 hectares embargados, e o responsável recebeu multa no valor de R$ 107.189,00 por provocar queimadas sem autorização do órgão ambiental competente. Foi emitida também multa de R$ 535.945,00 por desmatamento ilegal. 

Uma área de 461 hectares foi embargada, com multa de R$ 461.067,00 por provocar queimadas ilegais. O proprietário recebeu também multa por desmatamento, no valor de R$ 2.305.335,00. Outras duas propriedades tiveram áreas embargadas, de 593 hectares e 157 hectares.

As ações ocorrem no âmbito das operações Curuquetê e Verde Brasil, e são realizadas em conjunto pela Secretaria de Estado do Meio Ambiente (Sema), Instituto de Proteção Ambiental do Amazonas (Ipaam), Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM), órgãos da Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM), Defesa Civil do Amazonas, Exército Brasileiro, Polícia Federal e Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama).

Com informações da assessoria da Sema.