Enquanto gasta quase R$ 1 milhão com ‘Carnailha’, Bi Garcia deixa estradas no atoleiro em Parintins

Foto: Reprodução

O prefeito do município de Parintins (a 369 km de Manaus), o Bi Garcia gastou quase R$ 1 milhão com o Carnailha 2020, mas esqueceu que as estradas da comunidade Vila Amazônia, localizada na zona rural, continuam abandonadas e completamente ‘atoladas’. A denúncia foi feita pela vereadora da cidade, Nega Alencar, nesta sexta-feira (28), tendo como base imagens que circulam nas redes sociais onde mostram um ônibus atolado, no meio de uma dessas estradas, sendo empurrado pelos próprios moradores da área.

Foto: Reprodução

“O carnaval passou e mesmo o poder administrativo tendo se empenhado tanto em gastar uma quantia exorbitante do dinheiro público para ludibriar o povo, não foi suficiente para colocar para baixo do tapete os problemas enfrentados pela nossa população… As estradas da Vila Amazônia permanecem abandonadas e em estado de calamidade”, relatou a vereadora.

Segundo ela, o problema de abandono da via, que liga Parintins ao Estado do Pará, prejudica mais de 100 comunidades localizadas aos arredores da estrada e vicinais. “Essa situação prejudica mais de 10 mil habitantes da região, prejudica o transporte escolas, setor primário e a comunidade como um todo, que precisa da estrada para tudo. Ela está a vida toda sem manutenção e eu denuncio isso desde 2017”, declarou a parlamentar.

Mas para realizar o “Carnailha”, o prefeito Bi Garcia gastou mais de R$ 863,4 mil conforme denunciou o Radar, no último dia 25. O valor milionário foi gasto com o evento que aconteceu durante três dias, no município. Enquanto isso, as principais estradas da Vila Amazônia continuam sem manutenção alguma.

Problema antigo  

Um vídeo publicado no início do ano passado em um canal do Youtube chamado ‘Sou Mais Parintins’, mostra uma motocicleta percorrendo uma dessas estradas, por pelo menos dois minutos. Nas imagens é possível ver a rua cheia de barro e extremamente alagada em vários trechos. (ver vídeo no final da matéria).

Segundo a vereadora, a situação precária em que se encontram essas estradas já havia sido apresentada em 2018 à prefeitura de Parintins e ao Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra). No entanto, já se passaram dois anos e nada foi resolvido, as estradas continuam enlameadas e no barro.

“Esse problema não se trata somente de uma competência administrativa exclusiva de órgãos do Governo do Estado ou da União ele também recai na administração municipal, que não pode se omitir em ajudar as famílias residentes em toda extensão das estradas de Vila Amazônia”, concluiu Nega Alencar.

Sem respostas

O Radar entrou em contato com a prefeitura de Parintins para saber por que as estradas estão nessa situação e por que nada foi até o momento para solucionar o problema, no entanto, não houve respostas para os questionamentos até o fechamento desta matéria.

Seinfra

Procurada pela reportagem, a assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Infraestrutura (Seinfra) informou por meio de nota, que as estradas e ramais da Vila Amazônia não estão inseridas no atual contrato. Além disso, a Secretaria informou que em Parintins são realizados serviços de recapeamento asfáltico, ampliação da rede de drenagem de águas pluviais e sinalização horizontal das ruas do município. Os serviços em andamento na sede do município apresentam um percentual físico da ordem de 70% de obra pronta.